INTERNET

Zero rating: precisa se analisar se há efeito anticompetitivo e se há quebra de neutralidade

Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 08/11/2017 ... Convergência Digital

A evolução das economias digitais passa pela discussão sobre o surgimento de monopólios digitais e pelas regras de utilização do zero rating, ou seja, quando não há cobrança pelo acesso a um aplicativo ou site. Em debate, durante o 31º Seminário Internacional ABDTIC, Carlos Ragazzo, professor da FGV e ex-conselheiro e superintendente-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), lembrou que uma discussão sobre zero rating foi arquivada no Cade.

"É difícil saber o que vai acontecer e estamos tateando. Eu não tenho juízo formado sobre estas práticas e não acho que as pessoas tenham resposta certa para a questão", pontuou. Vinícius Marques de Carvalho, professor da USP, advogado e ex-presidente do Cade, lembrou que nas discussões sobre o Marco Civil da Internet houve a sugestão para definir o CADE como o garantidor da neutralidade de rede e destacou que o órgão não teria condição para tanto.]

"A quebra da neutralidade de rede não necessariamente é uma conduta anticompetitiva. Depende quem quebra, como. A discussão sobre zero rating envolve a discussão se tem efeito anticompetitivo e se tem quebra de neutralidade de rede. Estas discussões se intercalam e deixam a questão complexa", reforçou.

Para Ricardo Lagreca, diretor de relações governamentais e compliance do Mercado Livre, o zero rating, desde que não aconteça a priorização de pacote, tem forte semelhante ao 0800 da telefonia e beneficia o consumidor. "Não podemos limitar de forma a entender que isto quebra a neutralidade de rede, porque seria limitar modelos de negócios", opinou Lagreca. 

Com relação aos monopólios digitais, Vinicius Carvalho destacou que o debate deve ser sobre regulação e concorrência, lembrando que a defesa da concorrência é reativa. "Acho que depositar na defesa da concorrência a capacidade de solução de problemas de monopólios é uma aposta é errada", disse. Para ele, a tendência é que este debate seja mais regulatório. Confira o vídeo com a íntegra do debate.


TSE vai enviar intimações pelo WhatsApp e Facebook nas eleições 2018

Pelas plataformas serão encaminhadas intimações, notificações, citações ou pedidos para a tomada de providências que atendam ordens da Justiça Eleitoral. O serviço funcionará até a diplomação dos candidatos eleitos em 2018, que ocorrerá até o dia 19 de dezembro.

MP do Distrito Federal abre investigação contra YouTube, do Google

Foi instaurado um inquérito civil público para investigar a forma como a rede social trata os dados pessoais de crianças brasileiras. A investigação é conduzida pela Comissão de Proteção dos Dados Pessoais.

Senado divulga a versão final do PL de Dados Pessoais

Texto foi encaminhado à sanção presidencial e tem 30 dias para ser sancionado. Se passar sem vetos, a legislação entra em vigor, um ano e meio de pois da sua publicação no Diário Oficial da União. Acesse a íntegra do documento.

Facebook recebe multa máxima, mas baixa, por violar dados dos cidadãos da Inglaterra

Mas montante aplicado - cerca de US$ 650 mil - não é relevante para os cofres da rede social que, hoje, tem valor estimado em 590 bilhões de dólares. Para o órgão regulador britânico faltou transparência ao Facebook.

MP do Distrito Federal investiga venda ilegal de dados pessoais

Google, Yahoo, Baidu e Bing foram notificados para removerem o site 'Tudo sobre Todos' dos seus resultados de busca para conter a prática ilegal de venda de informações. O Mercado Livre foi notificado para suspender a conta pela qual são vendidos os créditos de acesso ao serviço.

Revista Abranet 24 . maio-junho-julho 2018
Veja a Revista Abranet nº 23 A Convenção Abranet 2018 reuniu, na Bahia, cerca de cem empresas de internet. As discussões foram além do dia a dia e abordaram aspectos como planejamento, inovação e estratégia.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G