Home - Convergência Digital

Carteira virtual: Cielo compra controle da Stelo do Bradesco e Banco do Brasil

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 19/01/2018

A Cielo vai assumir o controle total da Stelo, num aparente movimento para se proteger da crescente concorrência em meios de pagamentos e ganhar maior força no comércio eletrônico. A aquisição foi anunciada nesta quinta-feira, 18/01, por R$ 87,5 milhões e corresponde aos 70% que pertenciam ao Bradesco e ao Banco do Brasil.

Criada em 2014, a Stelo surgiu como uma concorrente das chamadas subadquirentes, facilitadoras de meios de pagamentos no comércio eletrônico, como PagSeguro e PayPal, que se oferecem como justamente como alternativas a credenciadoras tradicionais como Cielo e Rede, esta do Itaú Unibanco.

A Stelo também surgiu com a proposta de oferecer para consumidores os serviços de carteira virtual e moedeiro, uma modalidade de conta pré-paga virtual. O movimento da Cielo acontece num momento de efervescência no mercado de meios eletrônicos de pagamentos no país, que têm gradualmente tomado fatias de mercado das grandes.

A concorrência acirrada fez a participação de mercado da Cielo cair para 50% em 2017, quando tinha 54%, em 2016. Os concorrentes alternativos se movimentam. Um exemplo é a PagSeguro, unidade de meios de pagamento do Universo Online (UOL), que pediu registro no fim de 2017 para fazer uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa de Nova York.

As fintechs também começam a aparecer e a incomodar. Uma delas é a Koin que recebeu um aporte de R$ 15 milhões,em rodada liderada pelo International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial, junto com outros fundos europeus.

Com agências de notícias e agência Reuters

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/05/2020
Banco Central: os cartões de crédito e débito vão morrer no pós-Covid-19

17/04/2020
Meio de pagamentos: Startups unem operações para disputar mercado nacional

27/02/2020
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

16/12/2019
Mastercard: teles não serão nossas concorrentes

27/11/2019
Meios de pagamento: Tribunal do Cade rejeita recurso do Itaú e da Rede

25/10/2019
Meios de pagamento: CADE amplia investigação para Itaú e Rede

24/10/2019
Cade investiga bancos sobre meios de pagamento

12/09/2019
Ônibus em São Paulo vai aceitar pagamento por NFC e cartões de débito, crédito e pré-pago

02/09/2019
Rakuten: não há lugar para todos na guerra das maquininhas

14/08/2019
ABRANET acusa Mastercard de frear a competição nos meios de pagamentos

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site