GESTÃO

Justiça diz que smartphone e notebook não podem ser retidos pela Receita na volta de viagem ao exterior

Convergência Digital* ... 05/02/2018 ... Convergência Digital

A Receita Federal não pode apreender notebook de uso pessoal quando viajante volta do exterior, mesmo sem nota fiscal, porque o item faz parte da bagagem, sem apresentar finalidade comercial. Assim entendeu a 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região ao declarar nula uma apreensão e determinar que o fisco libere o equipamento à dona.

A União alegou que toda mercadoria importada sem guia de importação configura dano ao erário, implicando pena de perdimento. O juízo de primeiro grau rejeitou os argumentos. Segundo o relator do caso no TRF-1, juiz federal convocado Clodomir Sebastião Reis, o artigo 155 do Decreto 6.759/2009 considera bagagem os bens novos ou usados que um viajante pode destinar ao seu uso, consumo pessoal ou para presentear, desde que sua quantidade, natureza ou variedade não indiquem que a importação é feita com fins comerciais ou industriais.

“A apreensão de um notebook, que se encaixa como bagagem, mais precisamente como bem de caráter manifestamente pessoal, não implica na aplicação da pena de perdimento, e nem na cobrança de tributo”, afirmou Reis. O mesmo conceito aplica-se à presença na bagagem de uma máquina fotográfica, um relógio de pulso e um telefone celular usados que o viajante porte no momento do desembarque.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TRF-1.


Carreira
Brasil vai sediar Maratona mundial de programação

Competidores, de 25 países, terão 54 horas para desenvolver soluções que melhorem o acesso à Justiça. Expectativa é que a disputa conte com a participação de mais de 10 mil programadores.

Justiça diz que smartphone e notebook não podem ser retidos pela Receita na volta de viagem ao exterior

O entendimento é da 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região ao declarar nula uma apreensão e determinar que o fisco libere o equipamento para a sua proprietária.

Rio de Janeiro proíbe ligação de telemarketing fora do horário comercial

Nova lei também proíbe ligações feitas de números privativos e exige que os operadoras de telemarketing identifiquem a empresa logo no início da chamada. Medida entra em vigor daqui a 120 dias.

Serpro adota seguro para cobrir má gestão

Desde o dia 8/12, o Serpro passou a adotar o "Seguro de Responsabilidade Civil", para eventual indenização que dirigentes da estatal sejam obrigados a pagar, em virtude de erros administrativos e má gestão. O valor de cobertura do seguro será de R$ 30 milhões (1% do patrimônio da empresa). Funcionário abaixo do cargo de superintendente não goza do benefício.

Governo tem versão 2018 do ePING

Padrões de interoperabilidade são obrigatórios para todos os órgãos federais integrantes do Sistema de Administração de Recursos de Tecnologia da Informação.

Nas PMEs, 93% não estão prontas para implantar o eSocial

Pesquisa mostra que a maioria das médias e pequenas empresas ainda não assimilou as consequências de não se adaptarem ao novo regime fiscal, em vigor a partir de janeiro de 2018. Empresas consideram caro o custo de implementação do regime.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G