GESTÃO

TCU manda Serpro e Dataprev mudarem planos de negócio

Luiz Queiroz ... 22/03/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União avaliou nesta quarta-feira, 21/03, os modelos de negócios do Serpro e da Dataprev. Na parte que foi apresentada pelo ministro e relator, Vital do Rêgo, as empresas terão que mostrar maior eficiência na identificação dos custos, para formação de preços de serviços que garantam economicidade ao contratante.

Em linhas gerais, Vital do Rêgo indicou a necessidade das estatais mudarem seus modelos de negócio nos seguintes quesitos, levando em conta a parte do relatório que ele apresentou em plenário:

1 - As empresas devem verificar as causas dos baixos índices de eficiência operacional nos processos de desenvolvimento de sistemas.

2 - As empresas terão 180 dias para apresentar aos órgãos públicos a proposta comercial e os demonstrativos de formação de preços de cada serviço e do sistema objeto da proposta, para que se possa aferir quantidades e custo.

3 - Recomenda à Dataprev e ao Serpro que reavaliem seus modelos de negócio de desenvolvimento de sistemas para torná-los competitivos no mercado, promovendo, se possível a redução de preços, que garantam economicidade às contratantes.

A CDTV, do portal Convergência Digital, registra a apresentação do relatório pelo ministro Vital do Rêgo.


Governo não flexibiliza e mais de 700 mil empresas podem ser excluídas do Simples

A não regularização dos débitos poderá acarretar a exclusão do regime a partir de janeiro de 2019, mas não há facilidades - como houve o REFIS para as grandes empresas - para a quitação da dívida.

Azul Seguros: erra quem descarta o legado na transformação digital

O CIO da seguradora, Paulo Cesar Imelk, diz que falar é fácil, mas fazer a transformação digital acontecer é muito difícil. "No nosso caso, estamos indo a passos de bebê. Não há guinada", observa.

Decreto amplia uso da terceirização no serviço público

Nova norma cria algumas exceções à terceirização e deixa à cargo do Ministério do Planejamento definir o que poderá ser objeto de “execução indireta”.

Haroldo, o robô da defesa do consumidor, atendeu mais de 12 mil brasileiros

Criadora do bot, em quatro meses, obteve R$ 6 milhões em concessão de direitos. Na prática, o Haroldo ajuda as pessoas a recuperarem danos causados por empresas e identifica causas comuns, o que acaba por reunir pessoas que têm queixas contra uma mesma organização.

eSocial: Receita diz que 88% das grandes empresas aderiram ao regime

Segundo o Fisco, das 12,1 mil empresas com faturamento maior que R$ 78 milhões, 10,7 mil conseguiram fechar a folha de pagamentos no prazo.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G