Home - Convergência Digital

TRT/SP concede 30 dias para que patrões e empregados de TI encerrem impasse

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 17/04/2018

Durante audiência de conciliação realizada na tarde desta terça-feira, 17/04, em São Paulo, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, Sindpd e Seprosp concordaram - com solicitação deferida pelo desembargador Carlos Roberto Husek - em estabelecer uma nova possibilidade de acordo da CCT 2018 num prazo de 30 dias.

Durante a primeira rodada de negociação da Convenção Coletiva 2018, que aconteceu em 10 de janeiro, Sindpd e Seprosp decidiram, em comum acordo, que a data-base da categoria será mantida em 1º de janeiro e as cláusulas da CCT 2017 continuam válidas e devem ser respeitadas até que a nova Convenção Coletiva seja assinada, conforme a Ata divulgada no site. Esta decisão permanece em sua total validade.

Em nota, o Sindpd diz que está "pronto para agir em casos de descumprimento da CCT da categoria e reitera aos trabalhadores de TI de todo o estado de São Paulo que o Sindicato está à disposição para receber todo e qualquer tipo de denúncia sobre a retirada dos direitos da categoria, como a recusa por parte das empresas em fazer as homologação das rescisões no Sindpd; as tentativas de acordos individuais; e a pressão ou demissão para a substituição de trabalhadores celetistas para sistemas precários e fraudulentos de trabalho - como o intermitente, autônomo e PJ."

O sindicato dos Trabalhadores também está aberto para as empresas que estejam dispostas a iniciar processos de negociação coletiva.Os patrões fecharam as negociações da campanha salarial de TI 2018 oferecendo um reajuste de 2,07%. Também reivindicaram - e tiveram pedido negado pelos trabalhadores - para inserir na CCT da categoria, artigos que permitam às empresas ter liberdade de negociar diretamente com os trabalhadores questões referentes à jornada de trabalho, como trabalho aos domingos e feriados, ponto por exceção, jornada flexível e 12x36 horas.

Já em relação às viagens a serviço, a comissão patronal propôs - e também não foi aceito pelos trabalhadores- que o tempo gasto no trajeto das viagens não conte como  tempo de trabalho.Sobre o auxílio-alimentação, os empresários mantiveram a proposta de R$ 18, com os "descontos legais" aplicados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/07/2018
Dissídio dos trabalhadores de TI de São Paulo segue sem definição no TRT

28/06/2018
Sem acordo, categoria de TI em São Paulo fica à espera do dissídio coletivo

25/06/2018
Funcionários da ex-Cobra Tecnologia voltam ao trabalho, mas mantêm estado de greve

21/06/2018
BBTS, ex-Cobra Tecnologia, aceita acordo do TST até julgamento do dissídio

07/06/2018
Trabalhadores entram com pedido de dissídio coletivo de greve no TST contra a Cobra Tecnologia (BBTS)

17/05/2018
Sem acordo entre patrões e empregados de TI em São Paulo

16/05/2018
TRT agenda 2ª audiência de conciliação entre patrões e empregados de TI em São Paulo

23/04/2018
Em Ribeirão Preto, Justiça ordena Coderp a fazer rescisões de contrato de trabalhao no sindicato dos trabalhadores de TI

17/04/2018
TRT/SP concede 30 dias para que patrões e empregados de TI encerrem impasse

11/04/2018
TRT faz audiência de dissídio coletivo dos trabalhadores de TI de São Paulo no dia 17

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Decisão do STF a favor da terceirização não respalda a pejotização

Advogados procurados pelo portal Convergência Digital sustentam que a dispensa de empregados para a contratação como terceirizados pode caracterizar a subordinação e punição à corporação

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Funcionários brasileiros burlam regras de segurança de TI por software e apps

Justificativas para a quebra da hierarquia são variáveis, entre elas desponta 'porque os software baixados são melhores do que o que a minha empresa oferecia". No Brasil, boa parte não entende o efeito da Inteligência Artificial.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site