Home - Convergência Digital

Vivo cria ambiente de descompressão para funcionários na sede em São Paulo

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 18/04/2018

Espaço de café com uma horta automatizada, sala de meditação, local para a prática de yoga, minigolfe e arena para eventos com 40 pessoas. Esses são alguns dos ambientes do Vivo Digital Labs, um espaço digital de 1500m2 para colaboradores da empresa, em São Paulo. O Vivo Digital Labs é mais um passo na transformação digital da empresa e reforça o posicionamento da marca, que convida as pessoas a viver menos do mesmo e a experimentar novas possibilidades.

“O Vivo Digital Labs é a síntese do ‘espírito de start up’ que queremos fomentar na Vivo, como parte da nossa transformação digital. Criamos um ambiente disruptivo para os nossos colaboradores que privilegia o uso de técnicas e metodologias inovadoras, estimulando agilidade, criatividade e inovação, sempre com foco em oferecer a melhor experiência para nossos clientes”, afirma Christian Gebara, Chief Operating Officer (COO) da Vivo.

O novo espaço de 1500m2 fica no prédio da Vivo na avenida Doutor Chucri Zaidan, Zona Sul de São Paulo, e é ocupado por 230 colaboradores das equipes de transformação digital da Vivo, que trabalham seguindo metodologias como agile e o lean, aplicando a abordagem design thinking. Estes colaboradores trabalham em Squads, times multidisciplinares que atuam sempre por projeto baseado nas jornadas dos clientes, com foco na solução de objetivos específicos para acelerar a transformação digital da Vivo.

Assinado pelo arquiteto André Detanico, do escritório gaúcho AT, o conceito do Vivo Digital Labs traz inovação, mobilidade, contemporaneidade, tecnologia e integração com o ambiente urbano, trazendo para dentro da empresa a possibilidade de contato com a natureza e de lazer, em sintonia com a rotina de trabalho.

Já na entrada, os visitantes serão recebidos pela Vivi, a atendente virtual da Vivo, que tem tecnologias de realidade aumentada e de reconhecimento de fala. Por meio de um tablet, o visitante conversará com a Vivi e ela enviará uma mensagem para o colaborador, informando que a visita chegou. Além de 12 espaços para Squads, o ambiente tem um laboratório de user experience, para a realização de testes de serviços e funcionalidades com clientes, um command center, sala com 16 telas de monitoramento dos indicadores dos projetos em andamento pelos Squads, salas individuais e de reunião, com recursos de áudio e vídeo e telepresença; e arena de eventos, com capacidade para 40 pessoas e quatro terraços.

A área de descompressão inclui mesa de bilhar, console de videogames com óculos de realidade virtual, minigolfe, sala para meditação e prática de yoga, além de espaço de café, e uma horta totalmente automatizada para que colaboradores e visitantes possam colher e fazer seus próprios chás. Além do Vivo Digital Labs, a Vivo mantém outros espaços que reforçam o conceito da transformação digital da empresa e o posicionamento “Viver menos do mesmo”. Entre eles, estão a Gaming House, que conta com 12 posições e recebe, em média, 850 colaboradores por mês; e a sala de meditação, que recebe, em média, 60 colaboradores por dia, além de duas turmas de meditação com 60 pessoas cada. Ambos estão localizados no edifício-sede da Vivo, Eco Berrini, em São Paulo.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

05/10/2018
Governo faz pregão para digitalizar 1,2 milhão de pastas funcionais

28/09/2018
Wilson Sons: TI para ser protagonista tem de provocar para fazer diferente

24/09/2018
Governo sozinho não faz a transformação digital no Brasil

28/08/2018
Internet das Coisas é dependente de um ambiente multicloud

28/08/2018
Grupo Boticário: Tecnologia não faz a transformação digital

21/08/2018
App Meu TIM permite compartilhar vídeos, imagens e texto

20/08/2018
Universidade ABES quer formar líderes para comandar os robôs

07/08/2018
CESAR abre segunda turma para formar gestores digitais

25/07/2018
Entenda as quatro 'super-habilidades' que você precisa ter no trabalho

23/07/2018
Só 6% das empresas se consideram avançadas na Transformação Digital

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

O Panorama do Setor de TICs 2018, elaborado pela Assespro Nacional, em parceria com a Assespro Paraná e a Universidade Federal do Paraná avaliou o período de 2006 a 2016. São Paulo lidera com 43% dos empregos, bem à frente dos demais Estados.

Decisão do STF a favor da terceirização não respalda a pejotização

Advogados procurados pelo portal Convergência Digital sustentam que a dispensa de empregados para a contratação como terceirizados pode caracterizar a subordinação e punição à corporação

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site