Convergência Digital - Home

Planejamento espera até 20 órgãos em embrião da nuvem de governo

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 10/05/2018

O Ministério do Planejamento tem como expectativa concluir antes do final deste mês de maio o edital para a contratação do início de uma nuvem de governo. Pelo menos cinco órgãos estarão na ata de registro de preços, mas a ideia é que a experiência reúna até duas dezenas de entes públicos.

“Vamos ter reunião com órgãos para explicar o modelo, mas não espero que seja uma grande contratação. Serão mais de cinco, talvez 10, talvez chegue a 20 órgãos. E há uma ideia que a gente analise o plano de contratação. É uma experiência para órgãos com alguma maturidade em rodar na nuvem. Para os órgãos com maturidade muito baixa talvez a gente oriente a fazer adesão tardia”, diz o diretor de estruturação de soluções da secretaria de TICs (SETIC), Bruno Novais.

Nesta quinta-feira, 10/5, o governo fez uma reunião com potenciais fornecedores para estimular o mercado a enviar sugestões à consulta pública do termo de referência, que termina nesta sexta, 11/5, e não será prorrogada. “Estamos ansiosos. Não há mais tempo para prorrogação”, emenda Novais.

Do que adiantaram no encontro, os fornecedores lamentam a decisão da Setic de rever a contratação de multinuvem, embora tenha mantido a figura do ‘broker’. Mas ouviram que o redimensionamento faz sentido por ser um passo intermediário no aprendizado dos órgãos públicos no uso dessa tecnologia.

“Por enquanto vamos para o modelo mais simples, adquirir experiência. A gente quer experimentar o modelo do broker. Não temos essa experiência, nem quanto vai custar isso. Hoje o governo compra crédito e administra. Estamos no pré-pago e vamos para o pós-pago. E eventualmente vamos chegar em multinuvem, na nuvem de governo, misturando nuvem privada e pública dentro da estrutura”, diz a coordenadora geral de infraestrutura de TI, Flaviana Azevedo.

Como ressalta Novais, “não é o modelo ainda que estamos pensando, uma nuvem de governo, mas é um passo avante que a gente dá em relação ao que temos de contrato hoje. A ideia é rodar, validar esse modelo, e tomar a decisão, talvez em 36 meses, de montar a nuvem de governo”, explica, referindo-se ao prazo inicial da contratação, que pode ser esticada até completar 60 meses.

Aos potenciais interessados no pregão, o governo lembrou que manteve a exigência de armazenamento de dados no Brasil, em estrita observação da Norma Complementar 14 do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações, parte do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência.

Como resultado de tratativas com o próprio GSI e o TCU, o termo de referência passou a exigir certificados de segurança (ISOs 27017 e 27018) e documentos comprobatórios de controle relacionados à privacidade. “Todo o risco da nuvem sempre gira em torno de segurança, então entendemos que não podemos abrir mão desse mínimo arcabouço de segurança para as estruturas”, pontua a coordenadora Flaviana Azevedo.

 


Destaques
Destaques

Mais que frequência, 5G exige muita fibra e muita nuvem

Operadoras terão, com infraestrutura, capacidade de ter serviços tão rápidos quanto os ofertados pela TI, preconizou o diretor-executivo de Business Network Consulting da Huawei América Latina,  Guillermo Solomon.

CNJ alega risco à segurança nacional e suspende contrato do TJ/SP com a Microsoft

Para o conselheiro Márcio Schiefler Fontes, o TJ/SP entregou à Microsoft o controle total sobre a tramitação processual do maior tribunal do país.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Intuição versus análise de dados na gestão

Por Douglas Scheibler*

O poder decisório significa alta responsabilidade e inúmeros riscos. Neste cenário caótico, analisar dados é indispensável e é o que justifica uma determinada medida ser considerada como correta, em um cenário específico, em detrimento de outras.

Data Centers: agora é hora de ver acontecer

Por Gilberto Gonzaga*

O que recentemente era apenas uma tendência já pode ser observado na prática. A expectativa, agora, é que esses movimentos se consolidem cada vez mais e nos levem a uma nova era de conectividade, da qual a América Latina não ficará de fora.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site