GESTÃO

FecomercioSP pede à Receita para adiar prazo de adesão das PMEs ao eSocial

Convergência Digital ... 15/05/2018 ... Convergência Digital

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) pediu ao governo federal a prorrogação do prazo para que microempresas, microempreendedores individuais e empresas de pequeno porte implantem o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial).

A Entidade enviou ofícios para representantes da Receita Federal e dos ministérios da Fazenda, do Trabalho e do Desenvolvimento Social, além de outros órgãos competentes, solicitando a prorrogação da obrigatoriedade para janeiro de 2019, mesmo mês designado para os órgãos públicos.

O atual cronograma do eSocial impõe a essas empresas a obrigatoriedade, a partir de julho de 2018, do uso do sistema para prestar informações sobre tabela de rubricas e cadastro de empregador – 1ª fase. Contudo, o sistema inviabiliza a adaptação das micros e pequenas empresas, pois requer treinamento e conhecimentos prévios para o preenchimento dos dados.

Por entender as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores, a FecomercioSP solicitou ao Comitê Gestor do eSocial que esse grupo de empresas teria tratamento diferenciado, já que parte dele não possui estrutura administrativa e financeira que atenda à complexidade do sistema.

O pedido foi atendido em 2014, e o comitê prometeu a disponibilização de um módulo simplificado do sistema em caráter experimental e opcional, durante o período dos seis meses que antecederiam o início da obrigatoriedade. O problema é que o módulo não foi oferecido, e o cronograma de implantação prevê data inicial para estas empresas em julho de 2018.

Importante destacar que o eSocial não mudou nenhuma legislação, e as penalidades para as empresas são as mesmas que já existem atualmente, para aqueles que enviam as informações fora do prazo. Vejam quais são elas:

Não enviar os dados do esocial: R$ 500,00 por mês (lucro presumido) ou R$ 1.500,00 por mês (lucro real). Para ME/EPP há redução de 70% da multa. (art. 57 da MP 2.158-35/2001)

Empregado não registrado: R$ 3.000,00 ou R$ 6.000,00 em casa de reincidência. Para ME/EPP a multa é de R$ 800,00. (art. 47 da CLT)

Ausência de dados no registro: R$ 600,00 por empregado. (art. 47-A da CLT)

Férias: R$ 170,26 por férias não comunicadas (art. 153 da CLT)

Exames médicos obrigatórios (admissional, periódico, retorno ao trabalho, mudança de função e demissional): R$ 402,53 a R$ 4.025,33 (art. 201 da CLT)

Afastamento temporário do trabalhador: R$ 2.331,32 a R$ 233.130,50 (art. 92 da Lei nº 8.212/91 e art. 8º da Portaria MF nº 15/2018)

Comunicação de acidente do trabalho (CAT): variável entre R$ 1.693,72 a R$ 5.645,80, aumentadas em caso de reincidência. (art. 22 da Lei nº 8.213/91 e art. 8º da Portaria MF nº 15/2018)

Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP): R$ 2.331,32 a R$ 233.130,50 (art. 133 da Lei nº 8.213/91 e art. 8º da Portaria MF nº 15/2018)


eSocial: Empresas precisam testar aplicações no leiaute 2.5

A nova versão do leiaute do eSocial (versão 2.5) será implantada no ambiente de testes do eSocial (Produção Restrita) no dia 17 de dezembro. Período de convivência de aplicações irá até abril de 2019.

Setor de TI quer resgatar projeto original do Parque Capital Digital

O atual modelo implantado pelo Governo Rodrigo Rollemberg nunca foi aceito pelo setor de TICs. Senador Izalci Lucas (PSDB) pretende conversar com o governador, Ibaneis Rocha, sobre a questão. Conta com o apoio das empresas, que pela primeira vez, participam da equipe de transição através do presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

Receita orienta sobre como informar mudança de CPF no eSocial

Procedimento é considerado raro, mas para evitar problemas, o Comitê Gestor do novo regime determinou como as empresas devem agir. Medida será válida a a partir de 21 de janeiro de 2019, com a entrada em produção da versão 2.5 do leiaute do eSocial.

Ceará avança com PPPs para ser um hub nacional de TICs

Governo cearense trabalha para atrair datacenters e empresas de TICs, revela o secretário de Planejamento do Ceará, Francisco Queiroz Maia Jr. Em Telecom, secretário reclama da falta de interesse das teles e diz que alvos da política são operadoras competitivas e provedores Internet.

Prati-Donaduzzi investe R$ 3,2 milhões para garantir alta disponibilidade de TI

Maior produtora de medicamentos genéricos do mundo criou uma estrutura que se comunica com o data center atual por meio de dupla conexão mantida por fibra óptica, o que garante a velocidade de tráfego de dados e a produção ininterrupta de seus medicamentos.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G