GESTÃO

TCU vai abrir robô que varre licitações para estados e municípios

Luís Osvaldo Grossmann ... 18/05/2018 ... Convergência Digital

Com mais de 1 milhão de documentos digeridos, a robô Alice, usada pelo Tribunal de Contas da União para a análise de licitações e editais diariamente, vai passar por uma reengenharia para facilitar o uso sobre mais bases de dados e permitir que as cortes de contas estaduais e municipais façam uso da mesma ferramenta.

“O foco da Alice esta sendo no Comprasnet, mas a gente observa que a grande maioria, cerca de 80%, das licitações publicadas ali são da esfera federal. Os parceiros nos estados e municípios também têm necessidade parecida. Este ano uma das metas é alterar a arquitetura da Alice para permitir que a análise possa ser feita em outras bases além do Comprasnet”, explica um dos desenvolvedores do sistema no TCU, Edans Sandes. O sistema foi detalhado nesta sexta, 18/5, no 5º PyData BSB.

A robô nasceu em 2015 na Controladoria Geral da União e há cerca de um ano e meio vem sendo aperfeiçoada no TCU. A partir da varredura dos editais e das atas de licitações, a Alice envia alarmes para os auditores. E-mails diários informam valores e até apontam indícios de irregularidades. Uma nova implementação permite que Alice leia também o Diário Oficial da União, de olho em avisos de dispensa ou inexigibilidade de licitações.

Alice usa algoritmos para identificar valor de referência e analisar o próprio texto dos editais em busca de irregularidades, como exigências desnecessárias ou mesmo ilegais para a habilitação de empresas que participam de pregões. Da análise de atas, verifica se houve concorrência e até confere se há empresas fantasmas ou que estejam proibidas de contratar com o governo.

A automatização viabiliza o trabalho sobre um volume imenso de documentos. Em média são 60 mil licitações por ano, ou algo como 300 por dia. “Não há recursos humanos para analisar tudo. Poderíamos fazer estatisticamente, amostragem, ou algum tipo de priorização. Mas todas alternativas implicariam em abrir mão de analisar tudo”, diz Sandes

Além disso, a velocidade é fundamental. “Tem que ser rápido, porque em geral o pregão ocorre até 15 dias depois da publicação, com a homologação em outros 10 dias.” Segundo ele, desde que começou a ser usada no TCU, a partir de um ‘piloto’ em 2016, Alice já construiu uma base de dados com mais de 1 milhão de documentos analisados e indicou alarmes com reflexos em pelo menos 340 licitações.


Carreira
Marketplace móvel faz hackathon para área de pagamentos

Grupo Movile promove os desafios nas cidades de Recife e São Carlos (São Paulo) no mês de fevereiro.Selecionados vão receber diversos tipos de treinamentos online e terão auxílio dos mentores especiais, entre eles, Flavio Stecca, CTO do iFood.

Nova licitação do TaxiGov abre portas para apps e locadoras de veículos

Licitação acontecerá no dia 24 de janeiro e equivale a um montante estimado de R$ 19,6 milhões para execução no período de um ano. Implantado em março de 2017, serviço é usado por mais de 15 mil servidores e colaboradores, em quase 300 mil corridas realizada.

Empresas criticam governo e pedem mais prazo para aderir ao eSocial

Há também uma grande preocupação com as pequenas empresas. Isso porque a maioria - que tem de entrar no regime em 2019 - desconhece o novo regime de transmissão de dados para a Receita Federal.

Setor de TI quer resgatar projeto original do Parque Capital Digital

O atual modelo implantado pelo Governo Rodrigo Rollemberg nunca foi aceito pelo setor de TICs. Senador Izalci Lucas (PSDB) pretende conversar com o governador, Ibaneis Rocha, sobre a questão. Conta com o apoio das empresas, que pela primeira vez, participam da equipe de transição através do presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

Receita orienta sobre como informar mudança de CPF no eSocial

Procedimento é considerado raro, mas para evitar problemas, o Comitê Gestor do novo regime determinou como as empresas devem agir. Medida será válida a a partir de 21 de janeiro de 2019, com a entrada em produção da versão 2.5 do leiaute do eSocial.

Ceará avança com PPPs para ser um hub nacional de TICs

Governo cearense trabalha para atrair datacenters e empresas de TICs, revela o secretário de Planejamento do Ceará, Francisco Queiroz Maia Jr. Em Telecom, secretário reclama da falta de interesse das teles e diz que alvos da política são operadoras competitivas e provedores Internet.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G