Home - Convergência Digital

TIM e Claro divergem sobre prazo para a venda da faixa de 3,5 GHz

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 25/05/2018

A Tim defendeu durante o Painel Telebrasil que a Anatel avance com o cronograma que está sendo rascunhado no Conselho Diretor e confirme a oferta de radiofrequências em leilão ainda em 2019. E em especial que permita a aquisição de nacos da faixa de 3,5 GHz.

“Espectro é uma das prioridades para o desenvolvimento de um ciclo virtuoso no setor, que também envolve bons diagnósticos, recursos e compartilhamento. Esperamos que o cronograma para 2019 e uso em 2020 possa se tornar realidade”, sustentou o diretor de relações regulatórias da Tim, Carlos Eduardo Franco, em debate sobre a agenda regulatória.

Foi uma manifestação diametralmente oposta a da Claro, que um dia antes rejeitara a ideia de que as operadoras móveis aportem novos investimentos em espectro antes de terminarem de pagar pela faixa de 700 MHz, adquirida em 2014 e atrelada ao processo de desligamento dos sinais de TV analógicos.

“Cogitar a realização de um leilão de faixas de frequência seria precipitado, na medida em que ainda existem pendências nas faixas licitadas em 2014”, afirmara o diretor jurídico regulatório da Claro, Oscar Petersen, também durante o Painel Telebrasil, realizado nesta semana em Brasília.

A Claro reclamou especificamente da oferta da faixa de 3,5 GHz, por entender que continuam a existir problemas de interferência. “A interferência das parabólicas não é simples de resolver. Nossa expectativa é que não ocorra licitação antes de 2020”, emendou Petersen.

Pois a TIM torce especialmente para que a Anatel ofereça em leilão essa fatia do espectro o quanto antes. “A gente enxerga que o 3,5 GHz é uma nova fronteira que precisa ser disponibilizada”, afirmou Franco. No momento, a costura na agência é de reunir na mesma oferta a sobra de 700 MHz, além da faixa de 3,5 GHz e algo como 100 MHz em 2,3/2,4 GHz.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/09/2018
TIM avança como 'atacante' na oferta da ultra banda larga fixa

17/09/2018
Bloqueio de celular pirata será estendido a mais 10 estados

13/09/2018
Projeto aumenta multas da Anatel para R$ 100 milhões

12/09/2018
Ministério da Justiça multa Oi, Vivo e Claro em R$ 9,3 milhões cada

11/09/2018
Anatel quer eliminar regras para incentivar internet das coisas

11/09/2018
Anatel: Políticas públicas de telecom estagnaram no Governo

10/09/2018
TIM abre vagas para profissionais com deficiência no Rio de Janeiro

06/09/2018
Provedores devem apontar PTTs que grandes operadoras terão que conectar

05/09/2018
TIM quer isenção de Fust e Fistel para redes em áreas não rentáveis

05/09/2018
Provedores exigem da Anatel lista de municípios atingidos por plano de redes

Destaques
Destaques

4G: Belo Horizonte tem melhor cobertura, Porto Alegre maior velocidade

Estudo da OpenSignal indica que nas 14 maiores cidades brasileiras o sinal de LTE está disponível pelo menos 73% do tempo, acima dos 66% da média nacional.

América Latina restringe espectro e fica longe da meta da UIT

Até setembro, de acordo com a 5G Americas, foram concedidos, em média, na região, 363,8 MHz de espectro para a oferta de serviços móveis na América Latina.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site