TELECOM

Capitalização da Oi pode chegar a R$ 12 bilhões

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/06/2018 ... Convergência Digital

A Oi começa em 14/6 os procedimentos para aumento de capital como previsto no plano de recuperação aprovado em dezembro de 2017. Como primeiro passo, houve a dispensa dos credores das condições precedentes para esses novos aportes. Ato contínuo, a Oi marcou para entre 15/6 e 16/7 o período no qual os atuais acionistas poderão exercer seus direitos de preferencia.

O plano prevê a conversão de dívidas em ações, de forma a reduzir a dívida da Oi de R$ 45 bilhões para R$ 7 bilhões. Com essa entrada de novos acionistas, as projeções são de que haverá diluição dos atuais em até 72%. Na prática, significa que a Pharol (ex-Portugal Telecom), hoje a maior acionista com 22% da operadora, deverá ver essa participação reduzida para cerca de 7%. A não ser que decida exercer seu direito de preferência e também participar do aumento de capital. Daí o prazo divulgado pela Oi.

Com a decisão dos credores, foram dispensadas a aprovação do plano de recuperação em 2ª instância no Brasil e no Reino Unido e Estados Unidos, o alcance de Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) mínimo de R$ 5,7 bilhões, além da condição de que a empresa não estivesse sob intervenção.

“Conforme informações divulgadas no Fato Relevante e no Anexo 30-XXXII, o aumento de capital mediante a Capitalização de Créditos será realizado por meio da emissão de, no mínimo, 1.039.868.479 e de, no máximo, 1.756.054.163 Novas Ações, ordinárias nominativas e sem valor nominal, ao preço de emissão de R$ 7,00 por ação, de modo que o montante total da Capitalização de Créditos será de, no mínimo, R$ 7.279.079.353,00 e de, no máximo, R$ 12.292.379.141,00”, lembra a Oi no comunicado à CVM.


Anteprojeto que muda Fust e Fistel chega ao MCTIC

Anatel encaminhou a proposta como sugestão de uso dos recursos e redução de taxas incidentes sobre a internet das coisas. Mas teles questionam contas.

Teles reduzem índice de queixas dos usuários. Pós-pago foi o mais reclamado

Reclamações contra os serviços de telefonia fixa, móvel, TV por assinatura e banda larga caíram 15,6% no primeiro semestre, de acordo com dados da Anatel. Mas com o impulso do 4G, o celular pós-pago, por conta da cobrança dos pacotes, foi o mais reclamado em junho.

Prejuízo acelera processo de venda da Nextel Brasil

Controladora da operadora, NII Holdings, amargou um prejuízo de US$ 20 milhões, ou R$ 80 milhões, no segundo trimestre. Rumores dão conta que TIM e Telefônica/Vivo disputariam o ativo.

Fundos americanos já concentram 26% da Oi

Depois do York e do Goldentree, operadora informou ao mercado que o fundo Solus ficou com 9,71% do capital. BNDES perdeu participação.

Oi chama ex-presidente da TIM para novo Conselho de Administração

Além dos atuais seis integrantes do conselho transitório, proposta traz mais cinco nomes ao novo conselho, entre eles Rodrigo Abreu, ex-TIM e, hoje, na Quod.

TIM não vai repassar ao cliente custo de contrato com WhatsApp Business

Operadora foi a primeira a fechar um acordo comercial para uso da ferramenta da OTT no Brasil e, neste momento, não vai cobrar dos clientes pelo uso do canal de relacionamento.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G