Home - Convergência Digital

Profissional do futuro simplesmente não existe

Convergência Digital - Carreira
Fernanda Ângelo - 14/06/2018

Enganou-se quem entrou para assistir à palestra "Profissões do Futuro", realizada no Ciab 2018, achando que sairia dali sabendo em qual profissional investir - ou que rumos dar para a carreira. A futurista Lala Deheinzelin, criadora do movimento "Crie Futuros", colocou uma pulga atrás da orelha de cada pessoa na plateia ao dizer que o profissional do futuro - ou a profissão do futuro - simplesmente não existe.

"Não é mais possível pensar em uma profissão ou em um profissional", afirmou. "Teremos de pensar em células, cada uma com sua capacidade. O conjunto de skills é que dará conta do recado", seguiu a futurista. Na visão dela, o mercado conta hoje com recursos e pessoas para fazer do mundo tudo o que se possa sonhar. "É preciso deixar a competitividade de lado e mergulhar na colaboração, todos seuindo em uma mesma direção."

Lala observou que o mercado passa atualmente por uma fase de transição, que assusta e deixa em situação instável, mas que antecede uma etapa melhor.

Independentemente da especialização que se tem, no entanto, o profissional do futuro precisa gerar valor. E, para isso, tem de contar com algumas capacidades. Em primeiro lugar, ele deve entender o presente. "Ele precisa ter capacidade de percepção, da autopercepção, percepção organizacional e percepção do coletivo", enumera. Uma vez entendido o presente, é necessário sintetizar e selecionar aquilo que interessa. "Em um mundo exponencial, é impossível analisar tudo. Temos que ter visão do todo, mas sem pânico. E identificar o que deve ser analisado de verdade."

Por fim, o profissional precisa criar o futuro. E aqui não dá pra ser um futuro provável, pois, segundo Lala, se é provável, já existe e, portanto, não acontece. "Devemos criar futuros desejáveis. Aí sim teremos cenários possíveis", assegura a futurista. Tudo isso, resume Lala, deve ser uma causa coletiva, em que se percebe e integra as necessidades comuns. "A vida é colaboração. É preciso desenvolver a capacidade de convergência", diz. Se a todo esse entendimento se aliar a tecnologia, então se consegue chegar aos futuros desejados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

05/07/2018
Caixa inicia uso do assistente de voz do Google em serviços

25/06/2018
Quem não quer a Lei de Dados Pessoais é quem usa os dados de forma errada

25/06/2018
Smartphones abrem novo ciclo de bancarização no Brasil

21/06/2018
BRQ: quem não entender de tecnologia está fora do jogo

21/06/2018
Dell Brasil: infraestrutura é o equilíbrio entre o legado e digital

21/06/2018
TST confirma que Lei Trabalhista só vale a partir da sua promulgação

21/06/2018
Salesforce faz piloto no Brasil de serviços digitais na nuvem para bancos

21/06/2018
Capgemini: papel dos provedores mudou com a transformação digital

21/06/2018
Bradesco: novos concorrentes vão vir da inovação, mas competição não assusta

21/06/2018
Banese: desenvolvimento ágil está longe de ser uma 'bagunça' da TI

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Brasileiro revela pavor de perder o emprego

Estudo da Confederação Nacional da Indústria mostra que os profissionais brasileiros nunca ficaram tão preocupados com o emprego quanto agora. Sentimento cresce entre os homens, mas são as mulheres as mais assustadas com a possibilidade de demissões.

Profissional do futuro simplesmente não existe

A advertência foi feita pela futurista Lala Deheinzelin, criadora do movimento "Crie Futuros". Segundo ela, já não se pode mais pensar em uma profissão ou em um profissional. É preciso imaginar células, cada uma com sua capacidade. A união de todas elas é que será, de acordo com a especialista, capaz de nos levar a um mundo desejável.

Flexibilização no trabalho: prática bem longe da realidade no Brasil

Pesquisa mostra que 75% dos brasileiros ainda trabalham no formato tradicional: no escritório e no horário comercial. Estudo mostra ainda que 58% das empresas não fornecem recursos suficientes para viabilizar o home office.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site