GOVERNO » Política Industrial

Governo costura plano B para Lei de Informática

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/07/2018 ... Convergência Digital

Ao costurar o que o governo já chama de ‘Plano B’ para a Lei de Informática, o secretário de Políticas Digitais do MCTIC, Thiago Camargo, indica por onde estão sendo pensadas as mudanças provocadas pelo processo que questiona os instrumentos na Organização Mundial do Comércio. A ideia, sugere, é aproveitar a oportunidade para rever os benefícios fiscais.

 “É importante rever os instrumentos. Não teremos mais o PPB do PPB, ou seja, incluir dentro de um processo produtivo a obrigação de usar componentes de outro. Será que interessa fazer carregador de celular que ainda custa oito vezes mais que um produto da China?”, diz o secretário, que se auto intitula um agente provocador.

Parte do raciocínio busca alterações pelo que entende seria o fim dos benefícios ligados ao imposto sobre produtos industrializados, hoje a base do incentivo à produção no Brasil. Segundo Camargo, é natural que existam instrumentos de apoio à empresas iniciantes. E que boa parte do mercado brasileiro de informática ainda pode ser assim considerado. “Mas hoje temos empresas anciãs, de 70 anos, de 80 anos, recebendo incentivos para empresas iniciantes.”

A julgar por análises feitas por técnicos do MCTIC, uma vez que o componente ‘produção’ é o alvo principal da OMC, há espaço para fortalecer a Lei com relação aos incentivos à pesquisa. Nessa linha, a pasta parece buscar metas bem mais elevadas que os atuais 4% de investimentos em P&D para algo próximo a 15%.

A Sepod também não parece enxergar, ao menos até aqui, como atender uma demanda frequente, de incluir de alguma forma incentivos à produção de software na Lei de Informática. “Temos que ser realistas, visto que ainda temos dificuldades de definição”, aponta Camargo.

O tema, indica, envolve desde o tratamento de patentes aos softwares, uma discussão que volta e meia retorna ao segmento, mas nasce em como afirmar que um programa de computador foi feito no Brasil, diante das cadeias globais hoje comuns nesse setor.


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Pontes faz o primeiro contato com as teles para definir agenda do setor

SindiTelebrasil se reuniu com o ministro Marcos Pontes (MCTIC) e apresentou a agenda que o setor gostaria de ver solucionada pelo novo governo. À mesa estavam a revisão do Marco Regulatório do setor e o recém-aprovado PGMU, com novas metas de universalização.

Vinte e dois anos depois, governo tenta, mais uma vez, criar uma identidade nacional

Mais um Grupo de Trabalho foi montado para fazer o projeto sair do papel. Objetivo é criar uma base digital que unifique documentos diversos como Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Trabalho, Título de Eleitor e Certificado de Reservista.

MCTIC quer destravar acordo Telebras/Viasat por banda larga em 100 dias

Em entrevista ao portal do Palácio do Planalto, o ministro Marcos Pontes ambém falou sobre levar robótica para as salas de aula.

Caio Mario de Andrade é o novo presidente do Serpro

Perfil escolhido para a estatal é de um empreendedor da Internet. Vice-presidência ficará com um servidor de carreira, Wilson Biancardi Coury, que estava cedido à Rede Nacional de Pesquisa.

MCTIC quer modelo privado para o financiamento à inovação

“Temos a Finep, mas precisamos de um modelo de parceria com o setor privado”, afirma o novo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G