GOVERNO » Política Industrial

Governo costura plano B para Lei de Informática

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/07/2018 ... Convergência Digital

Ao costurar o que o governo já chama de ‘Plano B’ para a Lei de Informática, o secretário de Políticas Digitais do MCTIC, Thiago Camargo, indica por onde estão sendo pensadas as mudanças provocadas pelo processo que questiona os instrumentos na Organização Mundial do Comércio. A ideia, sugere, é aproveitar a oportunidade para rever os benefícios fiscais.

 “É importante rever os instrumentos. Não teremos mais o PPB do PPB, ou seja, incluir dentro de um processo produtivo a obrigação de usar componentes de outro. Será que interessa fazer carregador de celular que ainda custa oito vezes mais que um produto da China?”, diz o secretário, que se auto intitula um agente provocador.

Parte do raciocínio busca alterações pelo que entende seria o fim dos benefícios ligados ao imposto sobre produtos industrializados, hoje a base do incentivo à produção no Brasil. Segundo Camargo, é natural que existam instrumentos de apoio à empresas iniciantes. E que boa parte do mercado brasileiro de informática ainda pode ser assim considerado. “Mas hoje temos empresas anciãs, de 70 anos, de 80 anos, recebendo incentivos para empresas iniciantes.”

A julgar por análises feitas por técnicos do MCTIC, uma vez que o componente ‘produção’ é o alvo principal da OMC, há espaço para fortalecer a Lei com relação aos incentivos à pesquisa. Nessa linha, a pasta parece buscar metas bem mais elevadas que os atuais 4% de investimentos em P&D para algo próximo a 15%.

A Sepod também não parece enxergar, ao menos até aqui, como atender uma demanda frequente, de incluir de alguma forma incentivos à produção de software na Lei de Informática. “Temos que ser realistas, visto que ainda temos dificuldades de definição”, aponta Camargo.

O tema, indica, envolve desde o tratamento de patentes aos softwares, uma discussão que volta e meia retorna ao segmento, mas nasce em como afirmar que um programa de computador foi feito no Brasil, diante das cadeias globais hoje comuns nesse setor.


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Félix Mendonça Junior (PDT-BA) é o novo presidente da CCT da Câmara

Parlamentar que dar atenção especial  para a discussão da chegada do 5G no Brasil e também nas novas tecnologias, entre elas, o reconhecimento facial.

Dataprev registra aumento de 10% no lucro e alcança R$ 151 milhões em 2018

Segundo relatório da administração, receitas cresceram 2,9%, enquanto os custos subiram 2%. Investimentos chegaram a R$ 182 milhões. Maior parte dos recursos foi gasto em segurança da Informação e nas licenças Oracle. Governo deve quase R$ 400 mil reais à estatal.

Ex-VP de TI da Vivo assume comando da Dataprev

Christiane Edington, que ficou oito anos à frente da área de tecnologia da operadora, tomou posse na quinta, 28/2, durante reunião do conselho de administração da estatal.

Telebras vai agir para ser lucrativa e não ser vendida no Governo Bolsonaro

“Queremos implantar parcerias e empreender novos ritmos, com metas atingíveis e consolidar o nome da Telebra”, afirmou o novo presidente da estatal, Waldemar Ortunho Junior, em primeiro encontro com funcionários. Ministro Marcos Pontes participou da reunião.

Servidores da Dataprev fazem abaixo-assinado contra privatização

Documento digital defende que estatal dá lucro há mais de uma década e controla dados previdenciários de 35 milhões de brasileiros.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G