GOVERNO » Política Industrial

Governo costura plano B para Lei de Informática

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/07/2018 ... Convergência Digital

Ao costurar o que o governo já chama de ‘Plano B’ para a Lei de Informática, o secretário de Políticas Digitais do MCTIC, Thiago Camargo, indica por onde estão sendo pensadas as mudanças provocadas pelo processo que questiona os instrumentos na Organização Mundial do Comércio. A ideia, sugere, é aproveitar a oportunidade para rever os benefícios fiscais.

 “É importante rever os instrumentos. Não teremos mais o PPB do PPB, ou seja, incluir dentro de um processo produtivo a obrigação de usar componentes de outro. Será que interessa fazer carregador de celular que ainda custa oito vezes mais que um produto da China?”, diz o secretário, que se auto intitula um agente provocador.

Parte do raciocínio busca alterações pelo que entende seria o fim dos benefícios ligados ao imposto sobre produtos industrializados, hoje a base do incentivo à produção no Brasil. Segundo Camargo, é natural que existam instrumentos de apoio à empresas iniciantes. E que boa parte do mercado brasileiro de informática ainda pode ser assim considerado. “Mas hoje temos empresas anciãs, de 70 anos, de 80 anos, recebendo incentivos para empresas iniciantes.”

A julgar por análises feitas por técnicos do MCTIC, uma vez que o componente ‘produção’ é o alvo principal da OMC, há espaço para fortalecer a Lei com relação aos incentivos à pesquisa. Nessa linha, a pasta parece buscar metas bem mais elevadas que os atuais 4% de investimentos em P&D para algo próximo a 15%.

A Sepod também não parece enxergar, ao menos até aqui, como atender uma demanda frequente, de incluir de alguma forma incentivos à produção de software na Lei de Informática. “Temos que ser realistas, visto que ainda temos dificuldades de definição”, aponta Camargo.

O tema, indica, envolve desde o tratamento de patentes aos softwares, uma discussão que volta e meia retorna ao segmento, mas nasce em como afirmar que um programa de computador foi feito no Brasil, diante das cadeias globais hoje comuns nesse setor.


eSocial: deixar para novembro pode ser um erro fatal das empresas do Simples Nacional

Em entrevista ao Convergência Digital, o coordenador do eSocial, José Maia, advertiu: "Não deixem para a última hora. Aproveitem a transição".

Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G