INCLUSÃO DIGITAL

Por Wi-Fi gratuito, brasileiros minimizam os riscos de segurança

Convergência Digital* ... 05/09/2018 ... Convergência Digital

No Brasil, ao invés de utilizarem o pacote de dados, há pessoas que preferem acessar a internet gratuita disponível onde estão. É o que revelou uma pesquisa recente da HideMyAss!, uma empresa da Avast, com brasileiros sobre o tema. Embora a grande maioria (80,71%) dos entrevistados tenha conhecimento sobre os riscos com relação à segurança, cerca de um terço dos brasileiros (32,63%), ainda se conecta com Wi-Fi aberto em cafeterias ou locais públicos.

Entre os que admitiram o uso, cerca de 40% confessaram preferência por redes Wi-Fi gratuitas que não exigem registro ou senha para obter conexões, tornando-as ainda menos seguras. Com relação à proteção de dados, quatro em cada dez entrevistados (40,37%) afirmam confiar no seu software ou aplicativo de antivírus para mantê-los seguros no universo online, enquanto 30,18% disseram evitar a inserção de dados confidenciais como credenciais de login.

Há ainda brasileiros (7,20%) que esperam que o provedor da rede mantenha-os seguros, e outros (10,76%) que utilizam proxy ou VPN (Rede Privada Virtual). Ao serem questionados sobre o que é uma conexão VPN, três em cada dez (30,30%) revelaram não conhecê-la.Seja em cafeterias, bares, restaurantes e em locais públicos, onde há acesso gratuito à rede Wi-Fi, é fundamental ter no dispositivo uma proteção extra para garantir privacidade e segurança na internet.

Quando questionados sobre o acesso das informações de navegação, 33% dos brasileiros disseram que não gostariam que suas credenciais de login sejam acessadas por pessoas que não confiam. Além disso, 37% dos entrevistados revelaram que não gostariam que o mesmo aconteça com suas informações bancárias. Neste caso, a adoção de uma VPN confiável pode ajudar a não expor a localização ou colocar os dados pessoais em risco. Brad Poole, porta-voz da HideMyAss! compartilha algumas dicas importantes sobre como as pessoas podem estar seguras no mundo digital e protegerem seus dados.

Conexão segura - O mais importante é que a pessoa sempre garanta o uso de uma conexão Wi-Fi segura. Os hotspots Wi-Fi públicos são como uma mina de ouro para os cibercriminosos. Caso uma pessoa conecte-se à mesma rede, eles poderão ver facilmente os sites visitados, histórico de navegação, e-mails e credenciais de login. Ao usar uma rede Wi-Fi aberta, é recomendado a instalação de uma VPN no dispositivo para proteger a conexão ou minimizar os riscos com extensões de navegadores, como o HTTPS Everywhere.

Desabilitando serviços - A dica é desativar os serviços de localização, a georreferenciação e, se possível, a busca de metadados em dispositivos e navegadores quando utilizados. Mesmo no simples ato de compartilhar inocentemente uma foto em um perfil da rede social, a pessoa pode inadvertidamente fornecer sua localização ou a de um membro da família.

Software de segurança - Instale um software de segurança avançado para dispositivos móveis e tablets de uma empresa reconhecida. Versões gratuitas e muito boas estão disponíveis no mercado por companhias como Avast e AVG, que reduzem o risco de perda de dados pessoais e roubo de identidade.

A HideMyAss! possui mais de 890 servidores, em mais de 280 locais de mais de 190 países. É uma empresa global com sede em Londres, escritórios no Reino Unido e na Sérvia.




Audima cria ferramenta para levar conteúdo aos analfabetos digitais

A partir da própria dor, uma vez que tem dislexia, Paula Pedrosa criou a Audima, uma startup que transforma palavras em áudios. "O império da visão exclui muita gente. Nosso desafio, hoje, é mostrar que inclusão monetiza", observa a executiva.

Anatel quer saber se há interesse em investir em satélites no Brasil

Consulta pública sobre o tema recebe contribuições até 7 de setembro. Ideia é saber se há empresas que queiram prover serviço ininterrupto de capacidade satelital por cinco anos a partir de 1 de janeiro de 2021.

Sem rede e velocidade de conexão, escola rural padece para acessar à Internet

Apenas 34% das escolas possuem ao menos um computador com acesso à internet e a velocidade de conexão é baixa para permitir uso pedagógico, na faixa de 2 Mbps, revela a pesquisa TIC Educação 2018, do CGI.br.

Anatel quer BNDES como agente financeiro para usar FUST na expansão da banda larga

Agência reguladora aprovou o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações, o PERT. De acordo com a Anatel, 3.542 dos 5.570 municípios do país não possuem acesso à rede de fibra óptica. Agência também diz que dos R$ 20 bilhões do FUST, apenas R$ 200 mil foram aplicados no setor.

Acesso à Internet reproduz desigualdade social e econômica no Brasil

Estudo do IPEA mostra que a falta de acesso à internet repete as mesmas adversidades e exclusões já verificadas na sociedade brasileira no que tange a analfabetos, menos escolarizados, negros, população indígena e desempregados.  Homens e mulheres têm comportamento semelhantes na Web.

Google Station é plataforma de monetização para Programa WiFi Livre SP

Empresa firmou parceria com América Net e Linktel, com patrocínio do Itaú, e já conta com 80 hotspots distribuídos na capital de São Paulo.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G