TELECOM

GSMA: Parceria em conteúdo é melhor para teles que produção própria

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/09/2018 ... Convergência Digital

As operadoras de telecomunicações costumam repetir que não querem ser somente um ‘tubo burro’, senha para defender investimentos na oferta de conteúdos como forma de competir com as apelidadas OTTs, como Netflix, Amazon, etc. Mas o novo estudo da GSMA toca nesse nervo para sustentar que essa não é exatamente uma estratégia brilhante. Melhor apostar em parcerias e licenciamentos do que tentar mergulhar no universo da produção própria.

“Conteúdo é caro”, ressalta o novo relatório sobre ‘Tendências Móveis Globais’, divulgado pela Associação. A Netflix gastou US$ 6,3 bilhões em programação original em 2017, não ficando muito atrás da Time Warner (US$ 8 bilhões), da Fox (US$ 8 bilhões) e da Disney (US$ 7,8 bilhões)”, lista o documento, chamando a atenção para o peso desses investimentos.

Como destaca, ainda tomando o exemplo da Netflix, o estudo lembra que a empresa continua sendo a grande influência para o consumo de conteúdo via streaming online, e que esse tipo de serviço segue mordendo nacos da televisão tradicional. Mas faz um alerta às teles móveis: os custos envolvidos são gigantescos.

“Para a maioria das operadoras, essa tendência significa que fazer parcerias ou licenciamento de conteúdo representa um panorama mais realista do que adquirir ou criar conteúdo em um mercado dispendioso”, sustenta expressamente o relatório da GSMA.

O documento lista quanto investiram no ano de 2017 as maiores empresas de mídia dos Estados Unidos – além das cifras já mencionadas, vale lembrar os US$ 10,2 bilhões aportados pela NBC Universal, os US$ 5,4 bilhões da Viacom, US$ 4,5 bilhões da Amazon ou US$ 2,5 bilhões da Hulu.

O que a GSMA não menciona é que enquanto as receitas globais das operadoras móveis bateram em US$ 1 trilhão no ano passado, as maiores empresas mundiais de produção de conteúdo juntas não alcançaram receitas maiores do que US$ 190 bilhões.


Internet Móvel 3G 4G
Brasil e Chile assinam acordo que elimina roaming entre os dois países

Fim da cobrança adicional por ligações internacionais faz parte do acordo de livre comércio firmado entre os países. Brasil e outros 18 países das Américas buscam eliminar roaming móvel até 2022.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Destravar a construção de redes no Brasil passa por regras mais claras

À pedido da TelComp, a Cullen Internacional desenvolveu um estudo, ainda não divulgado, onde aponta as boas práticas internacionais sobre compartilhamento de postes e dutos.

TV Digital: Novo presidente da Anatel se mantém à frente do GIRED

Leonardo Euler, mesmo sugerindo que não gostaria de acumular funções, decidiu ficar à frente do Grupo que coordena a transição para a TV Digital e que libera frequência para a telefonia móvel - ação que tinha sido adotada pelo ex-presidente Juarez Quadros.

Telecom Italia entra em guerra de acionistas com nomeação de novo presidente

Mudanças no comando acirram as diferenças entre a francesa Vivendi e o fundo de investimentos americano Elliott. Crise pode vir a respingar na TIM Brasil, controlada pela operadora italiana.

Copel Telecom tem R$ 300 milhões para expandir oferta de FTTH

Empresa, que já soma 200 mil clientes no varejo, planeja chegar a 25 novas cidades com FTTH no primeiro semestre de 2019, revelou o CEO Adir Hannouche.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G