INTERNET

Parlamento Europeu aprova taxa para links e filtro de conteúdo na web

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/09/2018 ... Convergência Digital

Depois de rejeitar as partes mais polêmicas da revisão das regras de direito autoral sobre a internet em julho, o Parlamento Europeu fez renascer as modificações mais controversas em votação nesta quarta, 12/9, por meio de uma centena de emendas. Estão de volta da taxa para links e o filtro de conteúdo em busca de material com copyright.

A primeira envolve uma briga antiga na Europa, especialmente adotada na Alemanha, que exige o licenciamento e pagamento para o caso de citações de material publicado, especialmente jornalístico. Lá, o efeito prático foi que a Google removeu publicações do seu serviço de notícias. Voltaram aquelas que dispensaram a gigante de qualquer pagamento.

A segunda é ainda mais controversa. Ela exige que serviços online de compartilhamento de conteúdo que reúnam grandes quantidades de material disponibilizado por seus usuários façam uma varredura constante em busca de conteúdo protegido por copyright.

Jocosamente a medida foi apelidada de ‘morte dos memes’, pelo impacto previsível em conteúdos que fazem paródias ou usam partes de músicas ou imagens de filmes, por exemplo. Existem ressalvas de que a regra não valeria para usuários que não agem por interesses comerciais – mas não está muito claro qual seria esse impacto sobre quem tem canal no YouTube, por exemplo, visto que há remuneração àqueles com grande numero de visualizações.

O relator do texto final, o deputado alemão Axel Voss, sustenta que o alvo são as grandes plataformas da internet. “Gigantes plataformas americanas fazem dinheiro enquanto nossos criadores morrem”, afirmou o europarlamentar, defendendo que as novas regras afetarão essas gigantes especialmente.

Mas como rebate a também eurodeputada alemã Julia Reda, a linguagem adotada pelo Parlamento Europeu permite concluir que “somente minúsculas plataformas não serão alvo de litígios por infrações de copyright cometidas por seus usuários”. Nessa linha, as principais beneficiadas podem ser justamente as gigantes americanas, que têm recursos suficientes para adotar os desejados filtros de conteúdo como querem os eurodeputados.


Empresa americana, dona do Bolsomito 2k18, comunica à Justiça o fim da venda do game

O game tinha o então candidato à presidência, Jair Bolsonaro. O personagem ganhava pontos ao espancar e matar mulheres, negros, parlamentares e integrantes de movimentos sociais e da comunidade LGBT.

Dados Pessoais: Google recebe punição máxima de 50 milhões de euros na França

A Regulação de Proteção Geral de Dados (GDPR), em vigor desde maio do ano passado na União Europeia, vira pesadelo para as companhias de Internet.

Anatel impõe ofertas obrigatórias de conexão em apenas seis PTTs

Pontos de troca de tráfego escolhidos são os de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Brasília. A decisão afeta Oi, Telefônica, Claro, TIM e Algar.

Perícia digital: Disputa judicial exige mais prazo de armazenamento de dados

"Conflitos judiciais levam mais tempo que o exigido das empresas para armazenamento das informações. Com dados, não há anonimato na Internet", observa João Alberto Matos, do Pio Tamassia Advocacia. Fake News e perfis falsos nas redes sociais mobilizam a maior parte das perícias digitais.

MPF investiga Facebook por prestar informação falsa e descumprir ordem judicial

Para o Ministério Público, “a atitude mostra desrespeito aos Poderes da República Federativa do Brasil". Facebook tem 30 dias para dar esclarecimentos.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G