Convergência Digital - Home

IaaS vira principal motor da computação em nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital - 13/09/2018

As receitas mundiais em serviços de nuvem pública deverão crescer 17,3% em 2019, chegando a US$ 206,2 bilhões (R$ 860 bilhões), segundo projeções da consultoria Gartner. Neste 2018, o aumento previsto é de 21%, dos US$ 145,3 bilhões registrados no ano passado para US$ 175,8 bilhões (R$ 730 bi).

Segundo essas estimativas, o segmento de infraestrutura como serviço (IaaS) é o que apresenta a dinâmica mais acelerada, com crescimento estimado para 27,6% no próximo ano, atingindo US$ 39,5 bilhões (R$ 160 bilhões), frente aos esperados US$ 31 bilhões de aportes ainda em 2018.

De acordo com a consultoria, 90% das empresas deverão adquirir IaaS em nuvens públicas até 2022 e o farão de forma integrada com provedores de plataformas como serviço (PaaS), usando assim ambas as capacidades. Para a Gartner, a demanda de integração entre IaaS e PaaS é o principal impulso para a nova onda de adoção de nuvem. Provedores somente de IaaS se tornarão nicho.

No balanço geral da consultoria, software como serviço (SaaS) continua sendo o principal segmento do mercado de computação em nuvem, com receitas estimadas em US$ 72,2 bilhões (R$ 300 bilhões) neste ano e crescimento de 17,8% em 2019, quando deverão chegar a US$ 85,1 bilhões (R$ 350 bilhões).

Para a categoria mais recente do mercado de nuvem, de business process como serviço (BPaaS), a estimativa da consultoria é de crescimento de 7,9% em 2019, para receitas de US$ 50,3 bilhões (R$ 200 bilhões).

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Vivo já têm seis data centers virtualizados no Brasil

"Todo núcleo de voz já está virtualizado, como o de dados também", informa o diretor de planejamento e de redes da Vivo, Átila Branco.

Google mantém Brasil fora da estratégia de data center na América Latina

Companhia está investindo US$ 140 milhões para triplicar o tamanho do data center no Chile, com a geração de 1200 empregos diretos e indiretos. No Brasil, o regime especial para datacenters não sai do papel, como todas as ações de políticas públicas para TICs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Dos ambientes offline à estratégia MultiCloud

Por Fabio Gordon*

É preciso reconhecer a necessidade de mudança, entender que o seu data center de 20 anos não vai mais suportar os negócios digitais. É imprescindível fazer um diagnóstico do seu ambiente de TI e começar a mudar. E rápido, porque é provável que os seus competidores já estejam fazendo isso.

Nuvem é o agora e o futuro da competitividade

Por Artur Hansen*

Em cloud, todo investimento é hermético, organizado de acordo com as justas necessidades de cada empresa.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site