Convergência Digital - Home

Vivo já têm seis data centers virtualizados no Brasil

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 13/09/2018

A Vivo já tem seis data centers virtualizados, inclusive, em São Paulo. "Todo o núcleo de voz e também o de dados já foi virtualizado", confirmou o diretor de planejamento e de redes da Vivo, Átila Branco, em evento realizado nesta quinta-feira, 13/09, em São Paulo. A virtualização permite a descentralização do data center e reduz a latência na transmissão de dados. A iniciativa integra a Única, projeto global da Telefônica. O valor do investimento não foi revelado. A Ericsson é a responsável pela virtualização dos data centers.

A Vivo também, em parceria com a Ericsson, quer adicionar mais portadoras a suas redes LTE (4G) até o final do ano, a partir do uso da frequência não licenciada e usada pelas redes Wi-fi. A tecnologia usada é a acesso licenciado assistido (LAA), que em maio, teve a primeira rede comercial ativada na Rússia, na cidade de Ufa. De acordo com a Ericsson, foi possível oferecer velocidades na casa do Gigabit em LTE por meio da tecnologia, que consiste na combinação de espectro inteligente, utilizando frequências não licenciadas em conjunto com as licenciadas.

O desafio, hoje, é ter celulares compatíveis com a LAA. Apenas os celulares mais caros e com processadores da Qualcomm têm essa capacidade, mas as velocidades com as frequências combinadas podem chegar a 300 Mbps. O risco de interferência, afirma a Vivo, é facilmente mitigado.

"Sabemos que o Wi-Fi está sobrecarregado, mas com engenharia de rede é possível adicionar mais espectro ao 4G e melhorar a capacidade do serviço", adicionou Átila Branco. O executivo, no entanto, não revelou o número de portadoras que serão agregadas a partir do uso da frequência não licenciada com a frequência licenciada, nem o valor investido na iniciativa.


LEIA TAMBÉM:
Destaques
Destaques

Salesforce: blockchain é a resposta para retomada da confiança digital

Blockchain vai trazer mais rapidez, eficiência e transparência, sustenta o o diretor de Marketing da Salesforce para a América Latina, Daniel Hoe. Empresas brasileiras já testam a solução da Salesforce.

Banestes investe na nuvem para vender serviços digitais em todo o Brasil

Banco público do Espírito Santo conduz uma transformação de sistemas para a oferta de novos produtos, mas o CIO, Silvio Grillo, diz que a mudança cultural é tão relevante quanto a tecnologia.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site