SEGURANÇA

Califórnia decide que 'senhas manjadas' estão proibidas a partir de 2020

Da redação ... 08/10/2018 ... Convergência Digital

A Califórnia inova mais uma vez. O Estado norte-americano aprovou uma lei, que entra em vigor em 2020, na qual as fabricantes de dispositivos eletrônicos conectados à internet sediadas na Califórnia serão proibidas de colocar seus produtos no mercado com senhas padrão – isto é, senhas “manjadas”, como “123456”, “admin”, “password”, “michelangelo”, “user” etc. Qualquer um pode encontrar listas de senhas padrão no Google.

A decisão é relevante e terá impacto.O mundo fechou 2017 com cerca de 20 bilhões de dispositivos eletrônicos conectados à Internet. Serão pelo menos 75 bilhões, até 2025, de acordo com a Statista. A legislação também estipula que os dispositivos devem “conter um recurso de segurança que obrigue o usuário a gerar novos meios de autenticação, antes de começar a usar o dispositivo” – o que significa forçar o usuário a mudar a senha vinda de fábrica por uma mais complexa, assim que o ligar pela primeira vez.

Além dos consumidores, grandes empresas estão sofrendo com isso também. Em 2016, por exemplo, hackers conseguiram juntar milhares de dispositivos eletrônicos para atacar – e derrubar – a Dyn, uma empresa que presta serviços de nome de domínio a grandes sites. Ao fazê-lo, os sites do Twitter, Spotify e SoundCloud se tornaram inacessíveis. O mesmo aconteceu com a Netflix e a Reddit. Na Alemanha, quase um milhão de usuários ficaram sem conexão com a Internet.

Para fazer isso, os hackers usam o famoso botnet Mirai. Botnet (robot + network) é um malware que se aproveita da fraca segurança de roteadores e outros dispositivos eletrônicos para invadi-los. Com isso, formam um “batalhão” de dispositivos para atacar um alvo maior, em uma manobra chamada ataque de negação de serviço distribuído (DDOs – distributed denial-of-service attack).

Fonte: portal Conjur


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

BT Brasil defende clientes de mais de 125 mil ataques cibernéticos/mês

De acordo com o diretor geral da operadora no Brasil, Alex Inglês, em 12 meses, a companhia ‘defendeu’ cerca de 18 mil ataques DDoS de larga escala, alguns chegando a 650 gibabits. Complexidade tributária afasta investimentos em rede no Brasil, afirma ainda o executivo.

EUA voltam a acusar China de espionagem cibernética

Agência de Segurança Nacional alega que os chineses violam acordo para restringir esse tipo de ‘ataque’ firmado em 2015.

No Brasil, 20% das PMEs quebram após ataque hackers

Levantamento feito com 285 empresas mostra que boa parte pagou resgate para ter dados recuperados após ataque hacker. O pagamento é feito, em média, de 0,3 a 0,4 do valor de um bitcoin (R$ 9,6 mil). Entre as PMEs pesquisadas, seis de cada 10 admitiram ter sido contaminadas por malware.

Brasileiro desconfia que Lei de Proteção de Dados não vai 'pegar'

Pesquisa mostra que 58% não estão confiantes de que a legislação trará os avanços necessários para a proteção dos dados. Maioria se mostrou bastante preocupada com ataques hackers e de vírus cibernéticos.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G