Convergência Digital - Home

Chips com Inteligência Artificial são aposta da Huawei para negócios na nuvem

Convergência Digital
Por Luis Osvaldo Grossmann, de Xangai, China - 10/10/2018

A fabricante chinesa Huawei anunciou nesta quarta, 10/10, em seu evento global Huawei Conect 2018, voltado para analistas e parceiros tecnológicos, que acontece em Xangai, na China, o lançamento de dois novos chips especialmente voltados para o mercado de computação em nuvem. No evento, a Huawei também reforçou que já é a segunda maior fabricante de celulares do planeta.

O principal mote é a incorporação de inteligência artificial nesses novos chips (Ascend 910 e 310), a exemplo dos processadores que já tinha anunciado para smartphones, o primeiro ainda em 2017 (Kirin 970), o segundo em agosto deste 2018 (Kirin 980). E assim como mirou em concorrentes como Qualcomm e Intel, a empresa aposta que maior desempenho e menor consumo de energia ajudarão a morder fatias maiores do mercado de nuvem.

“Se quisermos liderar, temos que adotar uma mentalidade de Inteligência Artificial e usar seus conceitos e tecnologias. Não fiz a conta específica para o potencial ganho com IA, mas ela melhora todas as soluções e produtos. Por exemplo, este ano devemos vender 200 milhões de smartphones”, , afirmou o presidente da Huawei, Eric Xu.

Como insistiu ao responder a jornalistas durante o Huawei Connect 2018, o presidente da empresa defendeu a incorporação da inteligência artificial em toda a linha de produtos com um caminho natural para a gigante chinesa. “A IA traz novas oportunidades nos servidores, no mobile, etc, fortalecendo e fazendo todas as nossas soluções orientadas para futuro".

O executivo avisou que a Huawei não vai por os chips à disposição do mercado – ou seja, eles só serão acessíveis por meio dos produtos. “Os chips não serão vendidos a terceiros, mas parte de acordos para servidores de nuvem”, disse Xu, negando rumores de que haveria um acordo envolvendo a compra de chips pela Microsoft, mas indicando que há tratativas para módulos e servidores. Só que qualquer tipo de acordo deveráser anunciado em fevereiro de 2019.

*Luis Osvaldo Grossmann viajou a Xangai a convite da Huawei Brasil


Destaques
Destaques

Nuvem pública deslancha no Brasil e receita estimada é de R$ 2,3 bilhões

País tem muito para crescer no uso da nuvem pública, tanto que no ranking global está em 13º lugar, observa a IDC Brasil. As SD-WANs também se consolidam no mercdo nacional, mas a falta de mão de obra capacitada é um entrave.

Startup investe na nuvem e viabiliza atendimento médico no interior do Amazonas

Portal Telemedicina usa APIs do Google Cloud, Firebase e ML Engine para armazenar dados de pacientes, além de detectar doenças e priorizar atendimento em clínica da cidade de Coari,  localizada a 444 quilômetros de Manaus.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Intuição versus análise de dados na gestão

Por Douglas Scheibler*

O poder decisório significa alta responsabilidade e inúmeros riscos. Neste cenário caótico, analisar dados é indispensável e é o que justifica uma determinada medida ser considerada como correta, em um cenário específico, em detrimento de outras.

Data Centers: agora é hora de ver acontecer

Por Gilberto Gonzaga*

O que recentemente era apenas uma tendência já pode ser observado na prática. A expectativa, agora, é que esses movimentos se consolidem cada vez mais e nos levem a uma nova era de conectividade, da qual a América Latina não ficará de fora.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site