Convergência Digital - Home

Mercado brasileiro surpreende e vai às compras em infraestrutura de TI

Convergência Digital
Convergência Digital* - 11/10/2018

Os setores ligados à infraestrutura de TI - Servidores, Armazenamento e Networking, combinados, movimentaram US$ 393,62 milhões no segundo trimestre de 2018, o que representa um crescimento de 41% em comparação com o registrado no mesmo período em 2017. Para o ano de 2018, a previsão é que as vendas cheguem a US$ 1,376 bilhão, 8% a mais do que os US$ 1,271 bilhão registrados em 2017, aponta a IDC Brasil.

“Em geral, o último trimestre costuma ser o mais forte do ano, mas o segundo trimestre foi excelente e deve ser o melhor de 2018. Empresas dos setores de manufatura, comércio e finanças que estavam com infraestrutura muito defasada investiram na renovação de sua base instalada neste período, adiantando seus negócios diante de um quadro muito incerto no segundo semestre, com eleições e oscilação do dólar”, afirma Luis Altamirano, analista de pesquisas da IDC Brasil.

Os resultados voltaram a ser positivos depois de uma série de anos difíceis, com quedas sucessivas e significativas nas vendas desde 2015 por conta de fatores como crise econômica, cenário político conturbado e impacto de novas tecnologias, como cloud. No ano passado, a receita combinada de infraestrutura foi de US$ 1,271 bilhão, 10% menor do que em 2016 (-15% em Servidores, -4% em Armazenamento e -10% em Networking). Para este ano, a previsão é de crescimento de 8%, graças aos investimentos represados nos últimos anos e bastante concentrados no primeiro semestre do ano.

Ao analisar os números do segundo trimestre, o maior crescimento foi no setor de Servidores x86, cujas vendas foram 66% maiores do que no 2º trimestre de 2017, com uma receita de US$ 147,62 milhões – o destaque foram máquinas rack para datacenters, e, na camada do ecossistema de canais, equipamentos torre destinados para pequenas e médias empresas. Dispositivos de armazenamento externo tiveram um crescimento de 34%, movimentando US$ 82,58 milhões, com equipamentos de médio porte ganhando mercado em relação ao segmento high-end. Já o setor de networking, que engloba roteadores, switches e Wi-Fi, cresceu 26%, atingindo uma receita de US$ 162 milhões.

Os roteadores dominaram as vendas, com switches também contribuindo para os bons resultados. “Com a chegada de novas tecnologias, como 4.5G, 5G e SD-WAN, as operadoras estão voltando a investir e isso embala o setor de networking, que deve fechar o ano com um crescimento de 4% e manter esse ritmo em 2019. A demanda pelo aumento de pontos de acesso Wi-Fi em setores como o de educação também deve impulsionar o segmento, com uma projeção de crescimento de 6% no próximo ano”, comenta Altamirano. As perspectivas para 2019 são de estabilidade para o mercado de infraestrutura, com queda nas vendas de servidores compensada pelo crescimento em armazenamento e networking.


Destaques
Destaques

CNJ não libera contrato de R$ 1,3 bilhão do TJ/SP com a Microsoft

Mas autoriza o prosseguimento das negociações entre as partes. Decisão final sairá em plenária, ainda não agendada.

Big data e Analytics têm receita projetada em R$ 16,8 bilhões

A cloud pública também mostra crescimento e deve chegar a R$ 10 bilhões de receita no final do ano, de acordo com estudo da IDC, encomendado pela ABES. Com relação à Inteligência Artificial, o levantamento indica que, no Brasil,15,3% das médias e grandes empresas têm essa tecnologia entre as principais iniciativas e espera-se que isso dobre nos próximos quatro anos.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.

Intuição versus análise de dados na gestão

Por Douglas Scheibler*

O poder decisório significa alta responsabilidade e inúmeros riscos. Neste cenário caótico, analisar dados é indispensável e é o que justifica uma determinada medida ser considerada como correta, em um cenário específico, em detrimento de outras.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site