INTERNET

Suprema Corte dos EUA descarta julgar o fim da neutralidade de rede

Convergência Digital ... 05/11/2018 ... Convergência Digital

A Suprema Corte dos Estados Unidos descartou analisar um recurso das operadoras americanas contra uma decisão tomada ainda em 2016 que questionava a competência da FCC, a agência de telecomunicações dos EUA, de regular a internet no país.

Em essência, a maioria dos juízes entendeu que o assunto perdeu o objeto uma vez que a queixas das operadoras não mais subsiste: a FCC do governo de Donald Trump descartou as regras para internet tomadas em 2015 e que fomentaram a decisão judicial de 2016 por um tribunal de Washington.

Na época, as empresas de telecomunicações dos EUA foram ao Judiciário questionar a competência da Federal Communications Commission de baixar regras para a internet. Era o governo de Barack Obama e a FCC impôs normas que obrigavam o respeito à neutralidade de rede.

Em 2016, a Corte de Apelações do Distrito de Columbia sustentou que a FCC tinha sim as competências questionadas, mantendo as regras. No final de 2017, já sob maioria Republicana, a mesma FCC derrubou as obrigações de neutralidade de rede.

Em princípio, a recusa da Suprema Corte de tratar do tema deixa ainda válida aquela decisão de 2016, que diz que a FCC é competente para impor esse tipo de obrigação às operadoras de telecom americanas. O tema tem potencial para voltar a bater às portas da Corte, visto que a derrubada das regras também foi judicializada.Decisão desagrada as empresas de Internet, Amazon, Facebook e Google, que vivem um período turbulento com o governo Trump.


Burocracia em excesso trava expansão de redes de fibra óptica

Para o CEO da Telecall, Bruno Ajuz, infelizmente, ainda há muita imposição de regras às empresas interessadas em investir no segmento.

Com medo dos EUA, Europa adia planos de imposto para internet

Ideia de cobrar 3% das receitas de gigantes da rede como Google, Facebook e Amazon esbarra no receio da reação americana à taxação de suas empresas.

Sem integração, é impossível desenvolver IoT no Brasil

Iniciativa privada, universidades e poder público precisam trabalhar em conjunto para garantir o desenvolvimento de um ecossistema local para Inteernet das Coisas, adverte Elizabete Couto, diretora de IoT da Embratel.

2018: o ano para o Facebook apagar da sua história

Rede social admitiu que houve roubo de dados de 29 milhões de usuários na brecha de segurança descoberta no mês passado. De 15 milhões de usuários violados, foram roubados dois conjuntos de informações: nome e detalhes de contato, incluindo número de telefone, e-mail ou ambos, dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Endereços IPv4 acabam em janeiro de 2020 na América Latina

As estimativas do NIC.br apontam que 93% das organizações ASN (sistemas autônomos) possuem IPv6. O novo fôlego aconteceu por conta da devolução e da recuperação de endereços, explicou o gerente Ricardo Patara. O IPv6 comemora 10 anos de existência.

Revista Abranet 25 . ago-set-out 2018
Veja a Revista Abranet nº 25 Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G