GOVERNO » Política Industrial

Governo regulamenta fundo de investimento para uso de recursos da Lei de Informática

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/11/2018 ... Convergência Digital

O Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações publicou nesta quarta, 14/11, a regulamentação para uso dos recursos incentivados pela Lei de Informática em Fundos de Investimento em Participações, que poderão ser usados para aportes em empresas iniciantes. As projeções são de que dos R$ 1,5 bilhão movimentados anualmente com o benefício, 54% poderão ser aplicados nos FIP.

As empresas que se valem dos incentivos da Lei de Informática devem aplicar 5% do faturamento anual em pesquisa e desenvolvimento. Uma das alterções na Lei 8.248/91 aprovada neste 2018 prevê que desse percentual, 2,7% poderão ser aportados “sob a forma de aplicação em fundos de investimentos ou outros instrumentos autorizados pela CVM que se destinem à capitalização de empresas de base tecnológica e sob a forma de aplicação em programa governamental que se destine ao apoio a empresas de base tecnológica”.

Para fazer esse investimento, a Portaria 5.894/18 exige que os FIP estejam constituídas na CVM, tenham menos de seis anos e sejam dedicados exclusivamente à capitalização de empresas de base tecnológica, não sendo permitida a negociação das cotas em mercado secundário.

As regras determinam, ainda, que o investimento não poderá ser realizado em companhias ou sociedades controladas, direta ou indiretamente, por sociedade ou grupo de sociedades que apresente ativo total superior a R$ 80 milhões receita bruta anual superior a R$ 100 milhões.

A regulamentação permite que na conta sejam descontados os valores incorridos a título de encargos do FIP, mas manteve a restrição de que a empresa beneficiária não poderá possuir mais de 35% do total de cotas subscritas com recursos incentivados pela Lei de Informática.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Resolução abre estudos para privatização de Serpro e Dataprev

Quase um mês depois da decisão anunciada, Conselho do Programa de Parceria de Investimentos determina a análise, que deve ficar com o BNDES, “de alternativas de desestatização ou parceria com a iniciativa privada”.

Entidades de TI se mobilizam contra aumento de imposto para serviços

Proposta da Reforma Tributária, em discussão no governo, poderá causar um incremento de 11 pontos percentuais na tributação dos serviços, reclamam a Fenainfo e a Feninfra.

Congresso debate impacto das TICs no futuro do Brasil

Câmara e Senado vão promover um fórum para discutir temas como inteligência artificial, propriedades de dados pessoas, cidades inteligentes e internet das coisas. "Os dados pessoais serão o ativo mais importante de um País", afirmou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Privatização da Telebras e perda da soberania antagoniza deputados e Governo

Enquanto representantes do governo Bolsonaro afirmam que 'é cedo' para discutir o impacto real da possível venda da estatal, parlamentares da CCTI da Câmara, entre eles, o deputado Luis Miranda, do DEM/DF, criticam a decisão por interferir em dados sensíveis ao Estado.

Zona Franca reivindica prazo máximo de 180 dias para a concessão de PPB

O prazo de concessão do benefício fiscal tem sido, em média, de dois anos, conforme dados apurados junto à Suframa. Situação da Zona Franca ganha contornos estratégicos com o prazo apertado para fazer a revisão obrigatória da Lei de Informática.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G