Home - Convergência Digital

Nextel: Anatel precisa desburocratizar o compartilhamento de frequência

Convergência Digital - Carreira
Por Roberta Prescott e Rodrigo dos Santos - 19/11/2018

Há espaço para fazer muito mais compartilhamento do que acontece e é preciso desburocratizar o processo para agilizar os acordos entre as operadoras, observa o diretor de Regulamentação da Nextel Brasil, Luciano Stutz. "Um rito sumário precisa acontecer na Anatel. Por que tem de ir ao Conselho Diretor o tema de compartilhamento de ran sharing? Por que não pode acontecer na própria área técnica? O tempo seria muito mais otimizado", sustenta Stutz, lembrando que o acordo da Nextel com a Vivo demorou cerca de 65 dias para ser aprovado.

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, durante o XI Seminário TelComp, realizado no dia 13 de novembro, em São Paulo, Stutz advertiu: espectro é recurso caro e escasso, precisa ser bem gerido para não dar prejuízo às operadoras e deve ser tratado como rede.

"Não basta que a agência simplesmente homologue o contrato, tem de haver política de incentivo, desburocratizando e tendo o discurso da importância do compartilhamento", insistiu o executivo. No caso da Nextel, a operadora tem espectro em 1.8GHz e 2.1 GHz, ativos relevantes e que estão sendo cobiçados no mercado. Assistam a entrevista com Luciano Stutz.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

10/12/2018
Metodologia da Anatel obriga teles irem à Justiça contra valores de multas

10/12/2018
Nova Lei do Direito traz segurança jurídica aos TACs da Anatel

09/12/2018
5G tem vários desafios a serem enfrentados pelo Brasil

03/12/2018
Brasil segue tímido nas ações de fomento à Internet das Coisas

03/12/2018
Se o 4G é engessado, o 5G se define pela flexibilidade

03/12/2018
Claro faz piloto com roteadores de baixa latência

30/11/2018
5G põe um ponto final num ciclo de grande desperdício de energia em telecom

30/11/2018
5G exige rediscussão imediata da neutralidade de rede

29/11/2018
Governo Bolsonaro sinaliza o retorno do silêncio positivo para antenas de telecom

28/11/2018
MCTIC: política pública será diferencial para avançar com o 5G

Destaques
Destaques

5G exige pelo menos 100 MHz para cada operadora no Brasil

O tema preocupa a coordenação de espectro do 5G Brasil, uma vez que foram destinados 300 MHz na faixa intermediária e há quatro operadoras nacionais.

Segurança cibernética é crítica para o avanço do 5G

O tema é considerado polêmico - até em função das questões políticas que o envolvem como a briga China x EUA -, mas precisa ser debatido, observa Gustavo Correa Lima, engenheiro do CPqD.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site