TELECOM

Vivo testa modelo de 'pagar pelo crescimento' da Furukawa para expandir FTTH

Ana Paula Lobo ... 06/12/2018 ... Convergência Digital

Desenvolvido pela Furukawa no Brasil, o modelo 'pay as you grow', ou pagar quando houver crescimento, está sendo usado para fomentar a expansão das conexões FTTH (Fiber to the home) no Brasil. A Vivo, por exemplo, realizou dois pilotos - um em Brasília e outro em Uberlândia, Minas Gerais - para construir infraestrutura onde não há ainda a presença da operadora.

Em encontro com a imprensa, nesta quinta-feira, 06/12, o presidente da Furukawa Brasil, Foad Shaikhzadeh, explicou que o modelo se baseia em tecnologia de pré-conectorização em cascata. Na prática, a técnica evolui o conceito de home passed, onde casas que não têm o serviço recebem infraestrutura, para consolidar o home conect, onde se leva a infraestrutura efetivamente para quem quer receber o serviço da operadora.

"A Telefônica está construindo sua rede do zero em áreas onde não tem presença e, agora, avalia se vai operacionalizar a estratégia. Mas a solução é para quem tem rede HFC e quer mudar para o FTTH. Não há como não se fazer mais essa evolução. Todas as concessionárias terão de atualizar suas redes. Não há mais como evitar os investimentos, e o modelo de pagar pelo crescimento, facilita o CAPEX e o planejamento das operadoras", acrescenta Shaikhzadeh.

Em visita ao Brasil, o presidente mundial da Furukawa, Keiichi Kobayashi, sustentou que a sociedade conectada do 5G exige mais e mais fibra óptica. Ele revelou que a companhia já definiu um plano para 2030 onde a infraestrutura de telecomunicações terá a missão de oferecer conforto, segurança e identidade ao cidadão. O executivo diz que as metas para o Brasil estão definidas e não serão modificadas por conta do novo governo. "Sabemos que haverá mudanças, mas a nossa linha está traçada. O fábrica no Brasil está recebendo novos investimentos para ampliar a sua capacidade de produção até 2020", reforçou.

No modelo de 'pay as you grow' - criado no Brasil e exportado para outros países - a Furukawa comemora o contrato fechado com a operadora local de TV, telefonia e banda larga mexicana Izzi Telecom, com sede em Monterrey. A empresa possui uma rede de cobre com 30 mil Km de extensão e fará, em dois anos, começando a partir de janeiro, por meio da Furukawa, a atualização da sua infraestrutura para FTTH. Apenas em custos de materiais o contrato é orçado em US$ 50 milhões. A Furukawa vai trabalhar com Nokia, Huawei e ZTE, que serão responsáveis pelos equipamentos de rede.

"Não dá mais para as grandes operadoras postergarem seus investimentos na atualização das redes. Claro/Net, TIM, Oi e Vivo terão de migrar suas infraestruturas para remodelar seus negócios e atender aos clientes. Não por acaso, nosso investimento para 2019 ( o ano fiscal começa em março) passará para R$ 58 milhões, um incremento de mais de 20% em relação ao feito em 2018 (R$ 48 milhões). As redes FTTH vão ser uma realidade e há muitas oportunidades, sem falar das empresas de Internet que já respondem por 50% do nosso negócio", completou Foad Shaikhzadeh.


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Teles vão ao STF contra lei que obriga atendimento em 15 minutos

Nova ação direta de inconstitucionalidade argumenta competência federal sobre telecom para questionar a lei aprovada em São Paulo que dispõe sobre o tempo de espera nas lojas das operadoras.

EUA vai banir Huawei e sugere cortar parcerias com quem não imitar

Em visita ao leste europeu, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, diz que o uso de equipamentos de telecomunicações chineses “dificultam parcerias”.

Teles questionam no STF leis sobre cobrança e desbloqueio de celular

Em duas ADIs, empresas reclamam que leis do Rio de Janeiro invadiram a competência federal para tratar de telecomunicações.

Anatel reserva parte da faixa de 1,9 GHz da Claro para conexões via satélite

Ao analisar prorrogação do uso para telefonia fixa, agência reduziu prazo a cinco anos com vistas a mudar a destinação para o serviço móvel global por satélite.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G