TELECOM

4G, 4,5G e fibra óptica são prioridades da Vivo em 2019

Ana Paula Lobo ... 17/12/2018 ... Convergência Digital

Não pensem em uma troca de comando com mudanças radicais na Vivo. O atual presidente, Eduardo Navarro, que passa a responder pelo conselho de Administração a partir de janeiro, além de uma diretoria na Telefônica, na Espanha, garantiu que a mudança foi planejada. "Não haverá descontinuidade dos planos. O Gebara está na empresa há oito anos. Ele vai fazer a transformação digital da Vivo", afirmou, em encontro com a imprensa, realizado nesta segunda-feira, 17/12, em São Paulo.

Navarro classificou 2018 como um ano positivo. Segundo ele, foi o ano de fazer uma Vivo melhor e voltada para melhorar a experiência do cliente. Segundo o executivo, em Telecomunicações, sempre há de se avançar muito quando se fala em relacionamento com o assinante, mas estamos investindo na digitalização para fazer a nossa parte".

Com relação ao novo governo, há uma grande expectativa - houve uma reunião com o ministro nomeado para Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Marcos Pontes. Segundo Navarro, o encontro foi positivo e houve a demonstração de  tentar compreender a relevância do setor. Para Christian Gebara, a Vivo não é mais uma empresa de telecomunicações, mas, sim, de tecnologia. "Nossa missão é ofertar novos serviços aos assinantes", reforça. Não por acaso, a digitalização desponta como crucial para a estratégia. "Queremos que o assinante use ao máximo o aplicativo para se comunicar conosco".

Ainda sobre a nova composição da Telefônica/Vivo no Brasil, Gebara disse que, pela primeira vez, a operadora terá presidente e presidente de Conselho diferentes. A ideia, explica, é que cada um tenha a sua missão. "O presidente do Conselho, no caso o Navarro, terá papel relevante na parte de institucional, de política. Eu também vou estar à frente, mas haverá uma cogestão", falou, ao ser indagado sobre o governo Bolsonaro. "O mais importante é que a economia se consolide e haja mais geração de emprego", completou Gebara.

Do ponto de vista operacional, dos R$ 26 bilhões previstos de investimentos no Brasil entre 2018 e 2020, a maior parte irá para a infraestrutura 4G, 4,5G e para levar fibra óptica até a casa do assinante, diz Gebara. O planejamento da Vivo prevê chegar a 3000 cidades com 4G e 1000 cidades com 4,5G. Em fibra, a expansão será em FTTH. Hoje já são 9 milhões de casas prontas para receber a fibra da Vivo.

No ano passado eram 7 milhões e até 2020, a projeção é chegara a 15 milhões de casas. Também há o projeto de sobrepor a cobertura FTTC - fibra com cobre - da GVT, que chega a 11 milhões de casas. "Estamos fazendo um overlay em Curitiba, por exemplo. Mas temos cidades sem infraestrutura como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, entre outras. Nosso desafio é ampliar presença nessas e em outras capitais", completa.



Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Silêncio positivo para antenas passa na MP da Liberdade Econômica, mas não como o mercado esperava

Serão os órgãos públicos- os responsáveis pela burocracia excessiva e que restringem a liberação da implantação - os responsáveis por determinar um prazo máximo de resposta. MP da Liberdade Econômica também mexeu em pontos da Lei trabalhista.

Unifique compra provedor Internet em Santa Catarina

Aquisição faz parte da estratégia da Telecom catarinense de ampliar sua área de expansão e conquistar 1 milhão de residências até 2025. Unifique, hoje, atende a 116 municípios do Estado de Santa Catarina.

Anatel tem quatro vagas para comitê de defesa dos usuários

São três vagas para representantes de usuários ou entidades de defesa do consumidor, além de uma para representante de entidades de classe de prestadoras de serviços de telecomunicações.

Huawei confirma investimento de R$ 3,2 bilhões até 2022 em São Paulo

Em comunicado, a fabricante chinesa diz que o aporte de US$ 800 milhões (R$ 3,2 bilhões) acontecerá a partir de 2020 e engloba diversas iniciativas desde o suporte para a capacitação profissional de jovens em TICs até a manufatura de celulares 5G.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G