TELECOM

Anatel aprova PGMU 5, mas tenta superar impasse com as teles

Luís Osvaldo Grossmann ... 19/12/2018 ... Convergência Digital

Em sua última reunião em 2018, o Conselho Diretor da Anatel aprovou uma proposta para um novo plano de metas universalização. Voltado ao período 2021-2025, ele é idêntico ao PGMU anterior, 2017-2020, que até hoje não foi aprovado pelo governo federal. A proposta ficará em consulta pública por 60 dias.

Isso significa que a mudança significativa das metas se mantém na redução dos critérios para a instalação de orelhões. Com a remoção da proporcionalidade à população e dos critérios de distanciamento, a expectativa é de que a planta atual, com mais de 700 mil telefones públicos espalhados pelo paús, seja reduzida para pouco mais de 84 mil.

“Temos um estudo que mostra que a diferença não ter sido ainda aplicada resultou na alocação de R$ 1,1 bilhão para manutenção de telefones públicos entre 2015 e 2018”, afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, ao defender a mudança nas metas de universalização.

A Anatel aprovou o PGMU 4 (para 2017 a 2020), ainda em 2016, mas a fé de que seria aprovada no Congresso a revisão do marco legal do setor de telecomunicações – e com ele o fim das concessões e do próprio PGMU – acabou atrasando o cronograma.

Além disso, governo e Anatel divergem sobre as metas de universalização e mesmo sobre o saldo, ou seja, aquilo que as concessionárias devem por terem sido beneficiadas por reduções nas obrigações contratuais. A versão do PGMU que o MCTIC mandou à Casa Civil prevê compromissos de cobertura com LTE. A Anatel acha que são compromissos fora do escopo dos contratos de concessão.

No caso do saldo, as empresas rejeitam o valor desde quando a conta ainda estava em R$ 3,3 bilhões, depois corrigida para R$ 3,7 bilhões. Por isso, as empresas não assinaram a revisão dos contratos de concessão. Agora, para tentar superar o impasse, a Anatel vai insistir no saldo, mas mexer nos termos.

É que logo após o artigo sobre o saldo nos contratos, a agência vai incluir que o reconhecimento dos valores previstos não implicam em renúncia ao procedimento de arbitragem a ser solicitado pelas concessionárias para rediscutir os números.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Anatel aperta o cerco aos equipamentos piratas de TV por Assinatura

Agência reguladora alerta que os aparelhos sem homologação aumentam o risco de vazamento de materiais tóxicos, choques elétricos e até explosões. No ano passado, mais de 200 mil foram lacrados. 

Vivo coloca IA Aura para atender clientes pelo WhatsApp

Pelo número 11-99915-1515, é possível esclarecer dúvidas sobre planos e promoções, verificar consumo de dados, fazer recargas com bônus e receber 2ª via de conta, entre outras funcionalidades.

5G e Internet das Coisas são prioridades para os países do BRICS

“Foram discussões em quatro áreas, IoT na agricultura, 5G, banda larga e transformação digital”, resumiu o ministro Marcos Pontes.

Silêncio positivo para antenas passa na MP da Liberdade Econômica, mas não como o mercado esperava

Serão os órgãos públicos- os responsáveis pela burocracia excessiva e que restringem a liberação da implantação - os responsáveis por determinar um prazo máximo de resposta. MP da Liberdade Econômica também mexeu em pontos da Lei trabalhista.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G