Home - Convergência Digital

Latência alta é o calcanhar de aquiles do 4G no Brasil

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 16/01/2019

Um estudo feito pela consultoria OpenSginal sobre a qualidade do 4G ofertada no Brasil mostra que a latência é o calcanhar de aquiles do serviço no País. O relatório mostra que a Claro foi a operadora com o melhor resultado: 68 milissegundos. A TIM ficou com 68,8 ms. A Vivo com 78,9 ms. E a Oi com 79 ms. A OpenSignal adverte que o País precisa melhor muito nesse quesito: " muitas operadoras já conseguem latência abaixo de 30ms no 4G. A média brasileira está muito alta".

De acordo ainda com o levantamento, a TIM  foi a operadora móvel com maior disponibilidade de sinal, com seus assinantes ficando 78,6% nas redes 4G, mas a Claro ficou à frente em três outros itens analisados: experiência de vídeo, experiência de download e de upload. O levantamento afirma que Vivo e Oi apresentam falhas nesses quesitos, com falhas de acesso para conteúdos que demandam resoluções mais altas.

O estudo também ressalta que o uso do 700 MHz para o 4G trouxe uma melhor qualidade de serviço para os assinantes, uma vez que a faixa propaga melhor o sinal e amplia a cobertura. Não por acaso, o desempenho da Oi é pior, uma vez que a tele não tem o uso do 700 MHz. O relatório adverte que  a qualidade de acesso a vídeos no celular é apenas satisfatória entre as quatro teles, com a Claro tendo um desempenhoo pouco melhor que as rivais. A operadora do grupo América Móvil também ficou à frente no quesito tráfego de dados, com velocidades de download e upload superior às de Vivo, TIM e Oi.

No ranking das cidades - com a participação de 13 capitais e o Distrito Federal - Belo Horizonte segue sendo a cidade onde há a maior disponibilidade do 4G, com a Claro com a rede mais rápida, 12,6 Mpbs. O Rio de Janeiro segue com a mais baixa disponibilidade, entre as principais capitais. Na análise do 4G no Brasil, a OpenSignal diz que o uso da faixa de 700 Mhz projeta um 'futuro brilhante para a banda larga móvel no país', mas observa que esse futuro poderia já ser uma realidade, o que significa que a expansão está acontecendo em um ritmo mais lento do que o esperado. As medições da Open Signal foram feitas entre 1º de setembro e 29 de novembro, com informações tiradas de aplicativos da OpenSignal instalados em 395 mil aparelhos. Ao todo, a consultoria compilou e analisou mais de 7 bilhões de dados obtidos no período sobre as redes móveis. Clique aqui e acesse a íntegra do estudo.



Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/04/2019
Claro tem menor latência no 4G. TIM a maior cobertura

08/04/2019
Pós-pago supera 100 milhões de acessos com impulso do 4G

03/04/2019
TIM ativa chamada VoLTE em todo o Rio de Janeiro

26/03/2019
4G em 700 MHz já está liberado em 5.090 municípios

26/03/2019
Cobertura 4G alcança um novo município por dia

25/03/2019
PGMU: Anatel atualiza lista e troca 259 localidades que já tinham 4G

22/03/2019
4G já é a tecnologia de 4 bilhões de conexões móveis

19/03/2019
Velocidade de download 4G oscila em todas as teles no Brasil

13/03/2019
América Latina avança no uso de redes 4G com capacidades acima de 1 Gbps

11/03/2019
4G da Oi leva Internet e comunicação à estação brasileira da Antártica

Destaques
Destaques

Ecossistema de IoT movimentará R$ 38 bilhões

Projeção do mercado é que o segmento vai crescer acima de 20% ano contra ano até 2022. Dispositivos, em especial os smartphones, impulsionam o crescimento dos investimentos em TI ao longo de 2019.

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Smartphones colocam Inteligência Artificial na palma da mão

Por Samir Vani*

Tecnologias como reconhecimento facial, identificação de objetos e realidade aumentada já estão disponíveis na palma das nossas mãos, mas boa parte das pessoas não sabe ainda.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site