INTERNET

Google descarta quebra de privacidade no Gmail

Ana Paula Lobo* ... 08/02/2019 ... Convergência Digital

Por meio de nota encaminhada ao Convergência Digital, nesta sexta-feira 08/02, a Google informou que "prestará todos os esclarecimentos necessários às autoridades. Não usamos a informação disponível no Gmail para a personalização de anúncios e estamos seguros de que nossos produtos seguem a legislação brasileira".

Nesta quinta-feira, 07/02, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, abriu investigação contra a empresa por possível violação de privacidade no Gmail, o e-mail da companhia. Se condenada, a Google pode pagar até R$ 9,7 milhões de multa.

Na prática, a questão está judicializada desde 2015, quando o Ministério Público Federal do Piauí denunciou a Google por rastrear e-mails sem o consentimento dos usuários. A Google recorreu e obteve uma sentença favorável no Tribunal de Justiça do Piauí, com a argumentação que a prática não colocaria usuários em risco.

Pressionada pelas denúncias de coleta indevida de dados, a Google, em 2017, promoveu uma mudança e deixou de exibir anúncios personalizados, por meio de informações coletadas por robôs. Mas até hoje a empresa é obrigada a se explicar.

Em entrevista concedida em janeiro a um jornal alemão, o CEO da empresa, Sundar Pichai, foi taxativo sobre o assunto: Nós não usamos as informações contidas nos e-mails. Nossos sistemas automatizados verificam spam. Não pegamos dados da sua conta do Gmail e os usamos em qualquer lugar para publicidade. Usamos os dados do Gmail para lembrá-lo sobre um próximo voo ou viagem".

*Com informações de Agências Internacionais






Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

MP de Brasília abre inquérito para apurar venda de dados pessoais

Empresa na mira do Ministério Público do Distrito Federal e Territorios (MPDFT) é a Procob S.A. De acordo com a denúncia, essa empresa comercializa relatórios contendo informações como endereço, telefones, e-mails e outros.

TJSP começa com grupo Itaú projeto de citação eletrônica de pessoas jurídicas

Segundo oTribunal, informações técnicas para a participação foram enviadas a diversas instituições, mas por enquanto  somente o grupo financeiro respondeu. 

Facebook anuncia exclusão de mais de 50 milhões de postagens falsas

Trabalho de filtragem de conteúdo é  feito por algoritmos de inteligência artificial que identificam conteúdos abusivos com expressões de discurso de ódio, nudez adulta e atividades sexuais, violência e conteúdo explícito, bullying e assédio.

MPF: Expor em redes sociais quem descumpre isolamento é obrigação

Em nota técnica, Procuradoria dos Direitos do Cidadão defende ato de denunciar ou expor pessoas que promovem festas, reuniões ou outras atividades temporariamente proibidas.

MPF pede ao Google para tirar do ar vídeo de pastor vendendo feijão como cura da Covid-19

Valdemiro Santiago de Oliveira, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, vende por R$ 100 a até R$ 1 mil, sementes de feijão "mágico". 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G