TELECOM

Embratel usa Banda KA para expandir banda larga fixa e IoT

Ana Paula Lobo* ... 18/02/2019 ... Convergência Digital

A Embratel entrou na briga da oferta de banda larga - e por tabela de novos serviços, como Internet das Coisas - com a  ampliação do IPSAT, serviço de Banda Larga operado a partir do satélite Star One D1, o maior já lançado pela companhia, em Banda KA. A solução permite conexão à Internet Banda Larga de qualidade em diversas localidades em todo o Brasil. Entre as velocidades comercializadas estão 20 Mbps (download) com 4 Mbps (upload) ou 25 Mbps (download) com 4 Mbps (upload). Também é possível contratar um IP Fixo, permitindo configurações de acesso reverso à rede do cliente.

O novo IPSAT com Banda Ka amplia as possibilidades de acesso à Internet em alta velocidade para empresas, mesmo sem a existência de infraestrutura terrestre de telecomunicações na região, além de permitir a formação de rede VPN segura por meio de protocolo IPSec. A oferta também atende com eficiência as aplicações em Internet das Coisas (IoT), que poderão usar as estações IPSat como pontos concentradores.

“Estamos tornando o uso de Internet Banda Larga via satélite mais acessível aos diferentes tipos de empreendimentos. As velocidades disponibilizadas são capazes de atender a diversos perfis de negócios, inclusive aqueles com maior demanda de tráfego”, explica Gustavo Silbert, Diretor Executivo da Embratel Star One, lembrando que as empresas podem contratar a solução em Banda Ku, para áreas eventualmente não cobertas pela Banda Ka.

Indagado como seria o uso do IPSAT para a oferta de Internet das Coisas, Silbert diz no serviço a banda Ka dará conectividade a um ponto concentrador dos devices de IoT para sua comunicação com o mundo. Por exemplo, numa fazenda, temos diversos devices instalados (como tratores e outras máquinas) que se comunicam por meio de uma rede wireless terrestre até um ponto concentrador. Esse ponto concentrador pode estar equipado com um IPSAT (Internet Banda Larga) que levará esses sinais até o ponto de interesse.

Ocupando a posição orbital de 84° W, o Star One D1 está equipado com Banda Ka (300 transponders equivalentes de 36MHz), Banda C (28 transponders) e Banda Ku (24 transponders). O Star One D1 atende atuais e novos clientes nas áreas de vídeo (broadcasters), dados e voz. Essa infraestrutura garante disponibilidade de sinais de voz, TV, rádio e dados, expande backhaul de telefonia celular e amplia a oferta de serviços de transmissão de vídeos, aplicações corporativas, além de Internet e telefonia para localidades remotas, no Brasil, México e nas Américas do Sul e Central.

*Com informações da Embratel


Internet Móvel 3G 4G
Anatel autoriza Neoenergia a criar primeira rede privada LTE no Brasil

Projeto de R$ 10 milhões com a Nokia usa faixa de 3,5 GHz em rede elétrica inteligente no interior de São Paulo. Iniciativa vai permitir a a comunicação de todos os dispositivos da rede inteligente em Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista, abrangendo um total de 75 mil clientes da Elektro, e tem previsão de estar totalmente operacional em janeiro de 2020.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Teles lançam site Fique Antenado! para incentivar instalação de antenas

Página, produzida pelo SindiTelebrasil, tem o intuito de incentivar a instalação de mais infraestrutura de telecom. MCTIC e Anatel apoiaram a iniciativa. Frente Nacional de Prefeitos se dispôs a sentar à mesa e tirar as dúvidas das gestões municipais.

Telefónica Brasil vende 1.909 torres para Telxius por R$ 641 milhões

Empresa anunciou a venda depois do posicionamento oficial da companhia de abrir mão das operações na América Latina para centrar as atenções no mercado brasileiro.

TelComp: conflito do uso do poste não tem uma solução única

Presidente do conselho da entidade, Luiz Henrique Silva, diz que há muitas possibilidade e os operadores neutros - que começam a chegar ao Brasil - são uma delas. Sobre fusões e aquisições, um recado: o uso de equipamentos não homologados é inaceitável.

Oi vai propor grupamento de ações se preço não subir acima de R$ 1

Tema será levado ao conselho de administração para debate na assembleia de acionistas marcada para abril de 2020. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G