Home - Convergência Digital

Mercado de trabalho: Lacunas de habilidades distanciam patrões e profissionais

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 22/02/2019

Um estudo feito pela Udemy, marketplace global de ensino online, mostra a relação entre as habilidades das pessoas que estão buscando trabalho e as qualificações exigidas pelos empregadores. Essa relação foi chamada de lacuna de habilidades. Dos mil entrevistados, 72% sentem que são afetados por ela e 95% dos brasileiros reconhecem que ela existe no país.

“Não é um problema só do Brasil, é global. No entanto, por aqui essa lacuna é mais profunda. Um dos principais motivos que resultam nesse sentimento do brasileiro é a educação básica deficitária”, afirma Sérgio Agudo, diretor da Udemy Brasil. Apesar de o país apresentar essa disparidade, o profissional daqui identifica esse problema e sabe que está defasado em relação ao que o empregador espera dele - e pode tomar medidas para se capacitar cada vez mais.

“O Brasil está saindo de recessão, que é um fator considerável, e o empregado tem uma sensibilidade maior sobre os riscos, como perder emprego para um profissional mais jovem, ganhando menos e fazendo mais do que ele. Então, em um período pós-recessão, principalmente, é positivo ter essa noção de que precisa correr atrás. Em alguns países essa lacuna não é percebida e isso é um problema e aí o empregado fica estagnado, fica na sua zona de conforto e perde oportunidades”, afirma Agudo.

A chegada da tecnologia transformou o mercado de trabalho em vários aspectos: novas funções, novas ideias e novos empregadores. “A tecnologia vai ditar as normas e vai transformar ainda mais as indústrias no Brasil e fora do país. E nesse novo contexto cada vez mais as soft skills [as habilidades comportamentais] vão se destacar. Qualquer indústria nessa nova fase vai precisar de profissionais com essas habilidades. A carência é alta e as soft skills têm peso muito grande para o empregador. É uma tendência forte no país”, diz. É claro que a necessidade por profissionais com as chamadas hard skills, que são as habilidades técnicas, continuará existindo. Mas a demanda por soft skills vai ser gigantesca, preconiza Agudo. 

O estudo mostra, ainda, que 76% dos entrevistados consideram o mercado de trabalho brasileiro competitivo ou altamente competitivo. Mas Agudo pondera e explica que antes do país ser competitivo tem outros problemas que são prioritários como o acesso à educação básica e de qualidade. “A verdade é que está todo mundo nivelado por baixo. No Brasil o profissional lida com o básico de aprendizado. É uma competição de outro nível em relação a países como França e Alemanha, por exemplo. O Brasil é pequeno no resultado do mercado global”, diz.

No entanto, o diretor da Udemy Brasil acredita que em 2019 o mercado brasileiro voltará a se aquecer. “Temos uma  capacidade de investimentos reprimida, esperando a atuação do novo governo. Mas acredito em uma melhora. É difícil prever qualquer coisa no Brasil, mas os sinais são otimistas. O profissional brasileiro está mais atento às possibilidades e oportunidades seja para mudar de carreira, mudar de emprego ou aproveitar uma promoção”, afirma.

*Com reportagem do portal Info Money

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/08/2019
A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

13/08/2019
RH da OLX define planos de cargos e salários como ultrapassados

12/08/2019
Programa Fábrica de Talentos capacita mais de 300 alunos

05/08/2019
Dizer não é saudável para o ambiente de trabalho

05/08/2019
Polo Industrial do Software abre inscrições para programa de trainees

02/08/2019
TI Rio debate plano de cargos e salários para TICs

01/08/2019
Curso de gestão pública é top 1 de ranking nacional dos cursos a distância

29/07/2019
Dell oferece 1000 vagas em cursos de tecnologia por ensino à distância no Brasil

18/07/2019
Empresas oferecem 63 bolsas de estudo em Tecnologia

12/07/2019
Profissional do futuro é atento e despreza a zona de conforto

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site