Oi, Vivo, Claro e TIM são as empresas com mais queixas e mais resoluções junto ao consumidor

Da redação ... 15/03/2019 ... Convergência Digital

Com mais de 300 milhões de acessos em serviço, o setor de telecomunicações foi mais uma vez campeão de reclamações dos consumidores, seja nos 903 Procons espalhados pelo país ou na plataforma online de resolução de conflitos Consumidor.gov.br. “Neste período, as empresas de telecomunicações foram as mais reclamadas novamente”, ressalta o relatório ‘Consumidor em Números’.

Segundo o balanço de 2018 divulgado nesta sexta, 15/3, Dia do Consumidor, pelo Ministério da Justiça, das 609,6 mil reclamações junto ao Consumidor.gov.br, 40,3% (245 mil) foram contra operadoras de telecomunicações. Os bancos, outro setor com grande número de clientes, aparece em distante segundo lugar, com 22% das queixas na plataforma.

Em proporção menor, mas ainda na liderança, as telecomunicações foram também o motivo das reclamações de consumidores junto aos Procons. Das 2,2 milhões delas em 2018, cerca de 640 mil, ou 29,2% do total, tinham como alvo broncas com serviços de telecom.

Além disso, as maiores operadoras do país, Oi, Vivo/Telefônica, Claro e Tim, nessa ordem, são as quatro empresas com maior volume de reclamações de consumidores, também de acordo com o balanço apresentado pela Secretaria Nacional do Consumidor.

As operadoras de telecomunicações, porém, são as empresas com as maiores taxas de resolução de conflitos na plataforma online do sistema nacional do consumidor. Enquanto o índice médio é de 81%, com prazo de 6,5 dias, entre as teles as reclamações foram resolvidas em 89,9% dos casos.

Dos dez assuntos mais reclamados, os dois primeiros são relacionados a pagamento – SPC/Serasa e Cartão de Débito/Crédito/Loja – e em seguida vêm telefonia móvel pós paga, pacote de serviços (combo), aparelho celular e internet fixa. Transporte aéreo, telefonia móvel pré paga, TV por assinatura e empréstimo consignado completam a lista. Cobrança, 42%; contrato, 16,7%; e qualidade, 13,4% são os problemas mais comuns.


Internet Móvel 3G 4G
TikTok e WeChat decidem enfrentar o governo de Donald Trump

Empresas afirmam que vão usar todos os recursos disponíveis para garantir o Estado de Direito. O governo Trump proibiu o uso dos aplicativos chineses. Medida entra em vigor em 45 dias.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G