Home - Convergência Digital

Chapecó, em SC, é a primeira cidade com rede própria de IoT da Vivo

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 19/03/2019

Chapecó, em Santa Catarina, é a primeira cidade do país a ter a rede NB-IoT da Vivo. As principais capitais terão o serviço em curto prazo. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 19/03, pela operadora para reforçar a atuação nos negócios Internet das Coisas. As infraestruturas serão em Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M).

De acordo com a Vivo, a rede NB – IoT responde melhor por dispositivos estáticos - com aplicações em cidades, por exemplo, em iluminação pública, lixeiras, bueiros inteligentes, sistemas de alarmes, monitoramento, além de medidores inteligentes de água, luz e gás. Já a tecnologia LTE-M apresenta melhor performance em aplicações que demandam mais mobilidade, como rastreamento de veículos, de animais, de objetos de alto valor ou até mesmo em sistemas de pagamento por P.O.S.

Ainda para a Vivo, ambas as tecnologias serão essenciais para suportar o grande número de dispositivos conectados previsto para os próximos anos, possibilitando que essas aplicações absorvam todas as características das novas redes, com alta autonomia de bateria, e melhor cobertura do sinal, especialmente em ambientes remotos ou de subsolo.

As novas redes estão integradas à Vivo Kite Plataform® - plataforma própria de gestão de dispositivos IoT da companhia. Desta forma, o cliente passa a ter uma gama de funcionalidades cruciais que darão sustentação ao volume massivo de linhas e dispositivos conectados. Dentre os principais benefícios, é possível habilitar ou desabilitar serviços, acompanhar o status das conexões em tempo real, sua localização aproximada e até mesmo evitar uma utilização indevida de um equipamento não autorizado.

Atualmente, a Vivo conta com mais de oito milhões de dispositivos conectados no segmento M2M-IoT – do qual segue líder de mercado com 42% -, sendo que mais da metade desses dispositivos são gestionados na Vivo Kite Plataform®. "O desafio para o setor é ampliar a conectividade para os milhões de dispositivos, além de suportar seu crescimento que será vertiginoso nos próximos anos", explica a diretora de Marketing, Produtos Digitais e Inovação B2B, Debora Bortolasi.  "Hoje o mercado de Internet das Coisas é transversal à estratégia de negócios da Vivo, e já se mostra como um pilar no processo de digitalização das empresas", explica.

Para incrementar o uso das redes NB-IoT e LTE-M, a Vivo já vem trabalhando para oferecer aos seus clientes B2B, ainda neste ano, a funcionalidade de embedded SIM (eSIM). A tecnologia de eSIM complementa o portfólio de SIM Cards tradicionais, viabilizando um novo modelo de negócio para a indústria. Com a iniciativa, o SIM Card se torna um componente eletrônico e passa a ser embarcado nos equipamentos durante o processo de fabricação dos dispositivos.

Além disto, a partir da integração com a Vivo Kite Plataform ®, será possível ativar a linha sob demanda e iniciar automaticamente, e sem nenhum processo manual, o funcionamento do serviço de comunicação, evitando assim custos ao cliente antes da venda do equipamento conectado ao consumidor final. "Este tipo de tecnologia é a tendência do mercado IoT, pois potencializa um novo modelo de negócio com as indústrias de manufatura, principalmente o setor automotivo com seus projetos de Carros Conectados", finaliza Debora Bortolasi.

 

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/05/2020
Ao condenar Vivo, Justiça decide que Código do Consumidor é aplicável a pessoas jurídicas

18/05/2020
Vivo tem 130 novas vagas e já contratou 400 durante a Covid-19

11/05/2020
Vivo anuncia mais quatro cidades com rede FTTH

06/05/2020
Covid-19 reduz recargas e venda de aparelhos e respinga no lucro da Vivo

30/04/2020
Anatel aprova acordo de rede única entre Vivo e TIM

23/04/2020
CADE aprova compartilhamento de rede entre Vivo e TIM sem restrições

15/04/2020
Internet das Coisas: Quase 30% das empresas sofreram incidentes de segurança

02/04/2020
Vivo flexibiliza pagamentos para telefonia fixa, móvel, banda larga e TV por assinatura

25/03/2020
Brasil contabiliza 19% dos projetos de IoT em produção na América Latina

11/03/2020
Governo e Anatel: Oferta de Vivo/TIM pela Oi móvel ajuda retomada

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site