Home - Convergência Digital

TCU manda Executivo, Congresso e Judiciário adequarem terceirizados à nova CLT

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 02/04/2019

O Tribunal de Contas da determinou União decidiu que os órgãos do Executivo, Judiciário e Legislativo adequem os contratos de serviços terceirizados às alterações ocorridas na Consolidação das Leis do Trabalho. Para a Corte de Contas, não são mais devidos pagamentos em dobro pelo trabalho realizado em feriados e o adicional noturno, a não ser que haja previsão em acordo, convenção coletiva ou em contrato individual de trabalho.

A decisão, proposta pelo relator Bruno Dantas e aprovada pelo Plenário do TCU, também vale para as empresas estatais e veio no Acórdão 712/19, que determina aos mencionados que “promovam a adequação (revisão ou repactuação, conforme o caso) dos contratos de prestação de serviços de execução indireta com dedicação exclusiva de mão de obra com jornada em regime de 12x36 horas, tendo em vista as modificações trazidas pelo art. 59-A da CLT”.

Segundo o TCU, “a alteração deve ser feita mediante termo aditivo contratual, compensando-se nas faturas vincendas os efeitos financeiros a favor da Administração existentes deste 14/11/2017, seguindo-se da supressão da planilha de custos e formação de preços das parcelas que asseguravam a percepção em dobro nos dias de trabalho durante os feriados e as prorrogações de trabalho noturno. O termo aditivo terá eficácia retroativa a 14/11/2017, mas com a disciplina dos seus efeitos financeiros a partir da sua assinatura, considerando o caso concreto”.

Completa o Tribunal de Contas que “s houver discordância por parte do contratado na realização do termo aditivo, deve-se adotar medidas para rescindir o contrato, atentando-se, contudo, para encontrar meios de não causar a suspensão ou interrupção de serviço considerado pela autoridade competente como essencial para a Administração, cuja falta ou supressão traga prejuízo ou dano maior ao interesse público”.


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

15/05/2019
Regra do boleto para contribuição sindical é inconstitucional

02/05/2019
TCU encerra processo e Telebras corre para instalar internet em escolas

30/04/2019
TCU inclui Telebras e Serpro em relatório que questiona repasses para estatais

11/04/2019
Sindicato vai à OIT contra MP que tira desconto de contribuição em folha

05/04/2019
Mais duas ações no STF questionam contribuição sindical por boleto

03/04/2019
Justiça obriga mais empresas de TI a descontarem em folha a contribuição sindical

02/04/2019
TCU manda Executivo, Congresso e Judiciário adequarem terceirizados à nova CLT

29/03/2019
Mais uma empresa de TI é obrigada a descontar em folha a contribuição sindical

26/03/2019
STF já tem uma dezena de ações contra contribuição sindical por boleto

26/03/2019
STF já tem uma dezena de ações contra contribuição sindical por boleto

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

TI precisa de 420 mil novos profissionais até 2024

Formação de mão de obra, que já sofre para atender a demanda, vai ficar longe dos 70 mil novos empregos por ano. IoT, Big Data e segurança são áreas de maior demanda.

Salários em TICs são três vezes maiores que a média nacional

Em software e serviços, onde estão 75% das vagas das empresas de tecnologia da informação, remuneração média em 2018 foi de R$ 5 mil, contra R$ 1,8 mil do salário médio nacional.

TICs podem formar 1 milhão a cada quatro anos com recursos já existentes

Segundo o presidente da Contic, Edgar Serrano, atualização do marco legal de telecom e a criação do Sistema S das TICs são medidas de transformação digital sem impacto fiscal.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site