Convergência Digital - Home

CNJ não libera contrato de R$ 1,3 bilhão do TJ/SP com a Microsoft

Convergência Digital
Ana Paula Lobo* - 09/04/2019

O Conselho Nacional de Justiça decidiu, nesta terça-feira (9/4), suspender os efeitos da liminar que proibiu o prosseguimento das negociações do contrato do Tribunal de Justiça de São Paulo com a Microsoft para fornecimento dos sistemas de processo eletrônico. A contratação, no entanto, ainda está suspensa até análise final do plenário.

Prevaleceu o entendimento do relator, conselheiro Márcio Schiefler, votou para suspender os efeitos da liminar para que o tribunal possa dar prosseguimento, desde que a corte paulista repasse informações sobre licitações e tramitação ao CNJ.

"O TJ-SP apresentou diversas explicações acerca da contratação. Uma das explicações é o esgotamento tecnológico, que não é estável, sendo alvo de travamentos, além da economia de bilhões. Entretanto, o TJ-SP fez a contratação sem o conhecimento do CNJ", disse. Os conselheiros da CNJ temem, por exemplo, uma falta de integração entre o sistema de informática dos demais tribunais, usuários da solução da brasileira SoftPlan, e o Tribunal de Justiça de São Paulo, que trocaria a SoftPlan pela Microsoft.

Ao fazer a defesa do contrato na CNJ, o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Manoel de Queiroz Pereira Calças, insistiu que o Tribunal terá de investir, muito, em infraestrutura própria de data centers- cerca de R$ 900 milhões até 2020 para atender a uma resolução do próprio Conselho Nacional de Justiça. "Se atrasarmos o processo, será inviável o cumprimento da resolução".

A argumentação não teve o impacto desejado: a liberação imediata do contrato. A decisão apresentada na sessão de hoje é que cabe uma rediscussão da proposta da Microsoft e que esse trabalho deve ser feito, em conjunto, pelas áreas de TI do Tribunal de Justiça de São Paulo e do Conselho Nacional de Justiça. Assista a parte final da decisão anunciada pelo presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli.

*Com informações do Conjur e da CNJ


Destaques
Destaques

Evite os mitos. Nuvem não é mágica nem resolve tudo

Mesmo com dados de crescimento constantes, conceitos errôneos atormentam a computação em nuvem e retardam, muitas vezes, a adoção da tecnologia. Os mitos,advertem o Gartner, são perigosos e enganosos.

Governo mantém ‘cloud first’ e prepara nova licitação para reduzir datacenters

"Queremos ir primeiro para nuvem e evitar expandir de forma desestruturada os datacenters do governo. Teremos novas contratações de nuvem em futuro bem próximo", antecipa o secretário de governo digital, Luis Felipe Monteiro. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site