NEGÓCIOS

Utilities correm para se adequar à LGPD, mas admitem falta de maturidade

Luis Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 22/04/2019 ... Convergência Digital

Com a vigência formal da Lei Gera de Proteção de Dados (13.709/18) para junho de 2020 – a depender de como será a conversão em Lei da Medida Provisória 869/18 – as empresas correm para se ajustar às novas exigências. Mas faltam bons modelos a seguir, observou o superintendente de TI da Companhia Energética de Brasília, Carlos Monteiro.

O executivo participou de mesa redonda sobre o impacto da segurança da informação nos negócios das empresas e nas instituições governamentais, realizada pelo portal Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC, em Brasília. “É um momento muito ‘legal’. São muitas regulações, a legislação que está entrando, a LGPD, regulações próprias das estatais. Isso exige que a gente repense nossos modelos de proteção de dados e priorize investimentos. Estamos olhando o mercado, nacional e internacional, buscando as melhores práticas”, diz.

“Estamos buscando benchmarks, mas ainda não conseguimos enxergar no mercado empresas que trabalham no setor de utilities que já estejam avançando. É uma corrida para atender os requisitos. Mas temos observado que mesmo consultorias ainda não têm maturidade”, acrescenta Carlos Monteiro. Segundo o superintendente de TI da CEB, é preciso maior compreensão sobre o que aponta como conceitos conflitantes.

“A gente tem buscado casos para que a gente possa aprender com eles para garantir que o ovo não fique mais caro que a gemada. Dinheiro é tudo. E a aplicação correta dos investimentos é a base da empresa. Por isso creio que o momento ainda é incipiente, de aprendizado, e acompanhando passos de empresas mais consolidadas.” Assistam a participação do superintendente de TI da Companhia Energética de Brasília, Carlos Monteiro.


NVDIA: Inteligência Artificial exige mais profissionais no Brasil

Inteligência Artificial é o mercado mais promissor para novos negócios, revela o gerente de desenvolvimento da área Enterprise da Nvidia, Marcio Aguiar. No Brasil, a NVDIA adota a estratégia de abrir suas APIs para o desenvolvimento e pesquisa.

Assespro Paraná será um agente de crédito para empresas de TI

Entidade poderá intermediar de R$ 20 mil a R$ 1,5 milhão. Empresas com faturamento entre R$ 360 mil a R$ 16 milhões podem se candidatar aos recursos.

Blockchain vira um vale de desilusão nas corporações

A advertência é feita pelo Gartner, uma vez que os gestores admitem que  boa parte dos projetos não consegue ir além da fase inicial de experimentação. A consultoria elenca sete erros cometidos pelas empresas, entre eles acreditar que exista um padrão de interoperabilidade e que a tecnologia está pronta para o uso.

Startup une blockchain e IA para dar o compliance exigido na LGPD

A gaúcha Privacy Tools, criada pelo grupo Maven, busca investidores para ganhar musculatura para atender às corporações em todo o País. "Os ajustes dos sistemas por conta da lei são obrigatórios e falta menos de um ano", afirma Aline Deparis.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G