GESTÃO

Corte de R$ 5 milhões com o Serpro deixa 300 agências da Receita Federal sem internet

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/05/2019 ... Convergência Digital

A Receita Federal está orientando suas agências para o iminente corte nos links de internet contratados junto ao Serpro. Além de um processo de redução de parte delas a postos de atendimento, a justificativa é de que não há orçamento suficiente para cobrir todo o contrato com a estatal.

O objetivo é reduzir o custo mensal com esses links de R$ 9 milhões para R$ 4 milhões. Para isso, a Receita listou 301 agências, espalhadas por 23 estados,  a serem afetadas pelo corte, dentre as 482 cobertas pelo contrato. Em princípio, elas ficariam sem conexões a partir de 11/5. Mas o Serpro pediu mais tempo.

A orientação da Receita é para que as unidades afetadas substituam o Serpro por provedores privados em conexões de 10 Mbps, 20 Mbps ou 40 Mbps. Por serem contratações individuais a valores (espera-se) abaixo de R$ 500 por mês, estariam dispensadas de licitação.

Procuradas, Receita Federal e Serpro não responderam aos questionamentos sobre o impacto do corte e das soluções de contingência propostas. Informalmente, a informação é de que tratativas continuam por mudanças que reduzam os custos do contrato.

Entre as agências afetadas, a orientação preocupa pela estabilidade dos links e pelo fim do suporte incluído no contrato. A troca de fornecedor também exigiria o uso de redes privadas virtuais (VPNs) para acesso aos bancos de dados geridos pelo Serpro – embora essa seja uma solução que a própria estatal ofereça.

Por pressão das agências, o corte programado para a próxima semana foi adiado. Paralelamente, o Serpro pediu 60 dias para fornecer uma proposta alternativa de serviço. Ainda assim, a Receita segue adiante com a implementação da uma solução remota de suporte, além de manter a orientação à contratação de provedores locais – agora para daqui dois meses.


eSocial: Alterações relativas à contribuição previdenciária estão no ambiente de testes

O comitê do eSocialdiz que para permitir que empregadores e desenvolvedores façam testes foram estabelecidas datas fictícias relativas às faixas de salário de contribuição.

Aplicativo do governo mostra devedores da União e FGTS

Batizado ‘Dívida Aberta’, app para celulares e tablets permite consulta por nome, CPF ou CNPJ, ou mesmo pelo mapa do Brasil. 

Em mais uma etapa, BNDES ganha competência para vender ações da Dataprev

Portaria 1.675/20,  da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, lembra que o banco de fomento é o gestor do Fundo Nacional de Desestatização

Secretário de Desestatização acusa Serpro e Dataprev de venderem dados pessoais

"Se fosse (empresa) privada não aconteceria", alegou o Secretário de Desestatização do Governo Bolsonaro, Salim Mattar, em entrevista à radio Gaúcha. Fenadados promete processar Mattar por calúnia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G