NEGÓCIOS

Bancos investiram R$ 19,6 bi em TI. Software e Serviços responderam por R$ 10,1 bi

Ana Paula Lobo ... 07/05/2019 ... Convergência Digital

Apesar de ainda estarem classificados como despesas e não como investimento nos balanços contábeis dos bancos, software e serviços impulsionaram os gastos das instituições financeiras com tecnologia em 2018, que ficaram em R$ 19,6 bilhões, um aumento de 3% em relação a 2017, exatamente, por conta dos serviços originados a partir das novas tecnologias, como cloud, big data, computação cognitiva e inteligência artificial. Software e Serviços responderam por R$ 10,1 bilhões. Os dados são da 27ª edição da Pesquisa de Tecnologia Bancária 2019 da FEBRABAN, divulgada nesta terça-feira, 07/05, em São Paulo. O segmento bancário segue sendo o que mais investe em TI no Brasil, ao lado com o governo federal.

"Hoje, 80% dos bancos têm como prioridade o desenvolvimento de aplicações para o mobile banking. isso acarreta a contratação de desenvolvedores", observa o diretor de Tecnologia da Febraban, Gustavo Fosse. O levantamento apura que, hoje, de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, 6 são feitas por meios digitais – celular ou computador. O Mobile banking também é protagonista. Em 2018, 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, incluindo DOC e TED, foram realizados por meio do mobile banking, que, pela primeira vez, superou o internet banking na preferência do brasileiro nessas operações.

Esse movimento é reflexo da praticidade de uso, da segurança e da conveniência oferecidas pelo canal, que foi responsável por 40% do total de operações bancárias efetuadas no ano passado – levando-se em conta as transações feitas em agências, via internet banking, autoatendimento, pontos de venda no comércio, correspondentes no país e pelo telefone. Para efeito de comparação, em 2014 o mobile banking respondia por apenas 10% das operações.

De acordo com o estudo, o número de transações bancárias com movimentações financeiras cresceu cerca de 33%. O avanço de 80% na quantidade de transações com movimentações financeiras por celular foi puxado, principalmente, pelo crescimento número de contas pagar por esse canal (que chegou a 1,6 bilhão, em 2018) e de 119% na quantidade de DOCs, TED e outras transferências de quantias em contas bancárias (862 milhões).

"Hoje, o mobile banking tem duas vezes mais relevância que o Internet Banking", admitiu o diretor de tecnologia da Febraban, Gustavo Fosse. "Mas não significa que o Internet Banking não está crescendo. É fato que o Internet Banking é para Pessoas jurídicas. E o Mobile Banking está sendo endossado pelas pessoas físicas", complementa. Fosse também assinala que o mobile banking ganha espaço pelo fato de a banda larga estar mais massificada e com um custo mais em conta para o correntista. "A banda larga é um fator que impacta o maior uso mobile banking", ressalta o diretor da Febraban.

Para 2019, a tendência de software e serviços continuarem em alta é confirmada, até por conta dos investimentos em big data, analytics e inteligência artificial, afirma Gustavo Fosse. Em 2018, já há uma amostra do impacto das novas ferramentas. A pesquisa apura que as interações feitas entre clientes e bancos por web-chat tiveram um crescimento de 364%, e chegaram a 138,3 milhões no ano passado. Já os atendimentos via chatbot passaram de 3 milhões, em 2017, para 80,6 milhões no ano passado, ou seja, aumentaram 2.585%.

Os próprios bancos quando questionados pela pesquisa sobre os investimentos prioritários previstos para os próximos anos, os bancos revelam que o setor tende a usar cada vez mais a inteligência de dados em suas operações: 80% dizem planejar investimentos em big data/analytics; e 73% investirão em inteligência artificial e computação cognitiva.


Tecnologia da informação evita tombo maior do setor de serviços

Segundo o IBGE, apesar do desempenho ruim das telecomunicações, os serviços de TI exercem a principal contribuição positiva dos serviços no acumulado até agosto de 2019. 

Rio de Janeiro precisa deixar de exportar CPF e CNPJ

"O Rio é protagonista de geração de inteligência e, hoje, temos de nos desafiar para reter nossos talentos", afirma o coordenador do Rio Info 2019, Alberto Blois. A diversidade foi a 'cara' do evento em 2019.

Fusões e aquisições em TI remodelam o mercado interno

Pesquisa da KPMG mostra que, no primeiro semestre, aconteceram 61 operações de compra em TI no Brasil, sendo 39 domésticas, 18 aquisições por grupos estrangeiros e 4 empresas brasileiras comprando companhias estrangeiras.

BR Distribuidora: A TI não pode se esconder atrás dos processos para se defender

"A TI precisa entender que do jeito que era não funciona mais. Ela precisa se enxergar como parte integrante do negócio", diz o CIO da BR Distribuidora, Aspen Andersen.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G