TELECOM

Leilão do 5G inclui quatro faixas e será o maior da história da Anatel

Luís Osvaldo Grossmann, Ana Paula Lobo e Rafael Mariano ... 22/05/2019 ... Convergência Digital

Chegou ao conselho diretor da Anatel a proposta de edital para o leilão do 5G, que é esperado para acontecer no primeiro trimestre de 2020. E como destaca o presidente da agência, Leonardo de Morais, será de longe a maior licitação de espectro já realizada no país, fruto direto da revolução digital promovida pela nova geração tecnológica.

“O próximo edital de direito de uso de radiofrequência será o maior da história da agência e vai envolver as faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 2,5 GHz e 26 GHz. Espero que esse edital seja sorteado já na próxima semana para um dos conselheiros e então seja encaminhado para consulta pública. A importância desses ativos de espectro é que quanto maior a disponibilidade, menor será o custo de levar essa capacidade”, afirmou Morais ao abrir o segundo dia de debates do Painel Telebrasil 2019 nesta quarta, 22/5.

Como explicou , o desenho proposto tem os 10+10 MHz que ainda sobram na faixa de 700 MHz, fatia que vai manter a regra de limite de espectro para “evitar concentração na faixa”. Mas também está previsto que se não houver vencedor na primeira rodada, na seguinte será aberta a possibilidade de empresas que já detém nacos desta radiofrequência – ou seja, as vencedoras do leilão de 2014 – em lotes de 5+5 MHz.

Na faixa de 2,3 GHz, a minuta elaborada pela área técnica que será valiada pelos conselheiros prevê a oferta de 90 MHz, com a reserva de outros 10 MHz para o serviço limitado privado. A ideia é oferecer um lote nacional de 50 MHz e lotes regionais – quase estaduais –  de 40 MHz.

Na faixa de 3,5 GHz, haverá oferta de 300 MHz tem três blocos de 80 MHz e um quarto de 60 MHz. Caso não seja tudo comprado na primeira rodada, uma segunda vai dividir o bloco de 60 MHz em três de 20 MHz, permitindo que cada eventual vencedora concentre até 100 MHz.

E finalmente, na faixa de 26 GHz, são 3.200 MHz divididos em oito blocos de 800 MHz. Caso não sejam todos adquiridos na primeira rodada de lances, o que sobrar será dividido em lotes menores, de 200 MHz. Nesse caso, haverá um cap, o limite por empresa, de 1 GHz.

A dimensão dessa oferta de espectro, lembra o presidente da Anatel, está diretamente relacionada ao impacto esperado da nova onda tecnológica. “Falamos muito do 5G como tecnologia, mas antes de mais nada será uma ferramenta de transformação social como foi a energia elétrica. Se o 4g mudou a vida das pessoas, o 5G vai remodelar a sociedade, como interagimos e produzimos, e significara um redesenho da cadeia de valor da indústria.”


Internet Móvel 3G 4G
Huawei usa robôs em centro de distribuição no Brasil com uso do 5G industrial

Centro de Distribuição de Sorocaba-SP foi 100% digitalizado e ganhou maior capacidade de transferência de dados e a menor latência da nova geração tecnológica. Fabricante diz que houve um ganho de eficiência de 30%. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G