Convergência Digital - Home

Startup catarinense usa big data para combater desperdício de água potável

Convergência Digital
Convergência Digital - 30/05/2019

O software AcquaLogic – solução de big data analytics para gestão inteligente de controle de perdas em sistemas de abastecimento de água - é a aposta da startup catarinense Acqua Logic para combater o desperdício de água. Dados do Instituto Trata Água mostram que, em 2016, só aqui no Brasil, 38% da água consumível foi jogada no lixo, o que é o equivalente a quase 18 bilhões de litros de água por dia, com perda financeira de mais de R$ 10 bilhões no ano.

O AcquaLogic realiza análises de dados e acompanhamento de ações e resultados para uma gestão otimizada e segura, substituindo de vez ultrapassados processos manuais para controle de perdas. Na prática, o software coleta dados históricos da empresa de saneamento básico, faz uma tratativa desses dados e os transforma em informação.

Os procedimentos têm por base ferramentas de gestão de alto desempenho desenvolvidas pela Escola de Negócios da universidade norte-americana de Harvard e obedece aos preceitos e processos-chave da Internacional Water Association, entidade internacional formada por profissionais do mundo todo ligados à agenda global para controle de perdas hídricas.

“A questão é de gestão integrada de água”, diz Felipe de Luca, engenheiro sanitarista e ambiental formado pela Universidade Federal de Santa Catarina e CEO da Acqua Logic – uma startup criada há três anos com o objetivo de contribuir com a conservação dos recursos hídricos e a redução e controle de perdas no abastecimento de água. Para o executivo, o Brasil tem, hoje, dois cenários na área de saneamento. “Enquanto a maioria das concessionárias não dispõe de programas de contenção de perdas, outras sequer fazem uso de práticas efetivas de gerenciamento”, sustentou.

Intuitivo e modular

Ágil e fácil de usar, o sistema AcquaLogic é composto por quatro módulos intuitivos,100% integrados e customizáveis de acordo com as demandas do cliente. O módulo Gestão traz ferramentas de planejamento estratégico como balanços hídricos, indicadores de desempenho e perdas e relatórios analíticos.

Já o segmento Perdas Aparentes ajuda na gestão de fraudes e ajuda no compliance através de mecanismos de micro e macromedição. Há ainda os módulos Perdas Reais, para gerenciamento de redes e aferimento de vazamentos visíveis, não visíveis e pressão hídrica, e Controles Especiais, para suporte técnico e atendimento de demandas relacionadas a abastecimentos fora dos padrões habituais. A implantação do software corporativo é rápida e segura, realizada nas empresas de saneamento pela equipe técnica da startup.

Com a inovação no DNA, a startup já estuda também a incorporação de dispositivos ao sistema AcquaLogic através da tecnologia Internet das Coisas (Internet of Things, em inglês, ou IoT). “A ideia é desenvolver pequenos devices sem chip e sem necessidade de energia elétrica. Eles serão alimentados por baterias de longa duração e enviarão os dados de medição através de rede pública e IoT com cobertura nas capitais e principais centros urbanos do País”, explica Araújo, Diretor Comercial da Acqua Logic.

O projeto prevê servidores na nuvem e servidores de usuário para gestão de informação, interface web e aplicativos mobile, entre outras novidades. “A chegada da IoT ao software e pacote de serviços AcquaLogic é um importante passo para a expansão da empresa e para a transformação digital no setor de saneamento”.

Antes do lançamento no Brasil, o software AcquaLogic foi apresentado nos Estados Unidos para um grupo de especialistas globais nos temas água, saneamento e inovação e a startup foi indicada ao Prêmio da Água e Saneamento promovido anualmente pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Fundação FEMSA por suas inovadoras e inteligentes práticas para o setor hídrico na América Latina e Caribe.


Destaques
Destaques

Nuvem pública é usada no Brasil para back-up de dados e fluxos locais

A terceira edição da pesquisa Global Data Protection Index, encomendada pela Dell Technologies, mostra ainda que mais de 70% das empresas de médio e grande porte registraram incidentes com dados no Brasil, com um prejuízo médio de R$ 1,5 milhão.

Edge computing vai avançar 226% nos próximos cinco anos

Levantamento global da Vertiv mostra que o edge comuputing ganha papel estratégico no ecossistema de data centers pelo incremento do processamento de dados perto do ponto de uso.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site