SEGURANÇA

Serasa Experian: na corrida de gato e rato da segurança, software faz a diferença

Ana Paula Lobo e Rafael Mariano ... 17/06/2019 ... Convergência Digital

O balanço entre conveniência e segurança é uma corrida diária e fundamental na indústria da segurança da informação, observa o head do DataLabs da Serasa Experian para a América Latina, Marcelo Pimenta.

As novas demandas devidas ao uso das tecnologias de ponta exigem novas linhas de pesquisas, como o uso de tecnologia para a prova de vida, para a redução de falsos positivos e para análise de comportamento de uso físico do dispositivo.

"Há tecnologias que interpretam hábitos de uso físico. Por exemplo, a inclinação do aparelho na hora em que o usuário digita algo ou a forma como ele segura o dispositivo", contou Pimenta. Segundo ele, o software faz a diferença na identificação de fraudes e do comportamento humano. Uma das ações da Serasa Experian, por meio de uso das novas tecnologias, é eliminar o hacker que tenta ficar entre o usuário e a instituição financeira, com o uso da combinação do big data e dos algoritmos de Inteligência Artificial.

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, concedida durante o CIAB Febraban 2019, realizado de 11 a 13 de junho, em São Paulo, Marcelo Pimenta descreveu quem é o hacker das novas tecnologias e advertiu: ao criar facilidades, as empresas abrem brechas para serem quebradas. O desafio é construir sistemas capazes de impedir as fraudes. Assistam à entrevista com o head Latam do DataLabs da Serasa Experian, Marcelo Pimenta.


Administradora de shopping centers revela ataque cibernético

Ao mercado a Aliansce Sonae informou que a invasão aconteceu em maio e a companhia admite que, algumas informações possam ter sido acessadas, mas que elas não eram estratégicas.

PF caça quadrilha que teria vazado dados do presidente Bolsonaro e de mais de 200 mil servidores

Ação policial acontece nos Estados do Rio Grande do  Sul e Ceará. Organização teria invadido sistemas de universidades, prefeituras e câmaras de veradores.

Para Idec, ação comprova que Metrô de SP não garante segurança de reconhecimento facial

Segundo entidade, que move processo contra o Metrô, empresa falhou em não realizar estudo para implantar a tecnologia. 

Bancos querem prisão por até 18 anos para cibercriminosos

Instituições financeiras pedem a aprovação urgente do PL 2638, apresentado na Câmara, pelo deputado Marcelo Ramos, PR/AM, que impõe punição rigorosa às fraudes cibernéticas. "A impunidade é um incentivo", diz Adriano Volpini, do Itaú-Unibanco.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G