Home - Convergência Digital

Huawei: "Vamos manter os altos investimentos em 5G"

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 24/06/2019

Na 11ª edição do Encontro de Grupos de Usuários, que acontece esta semana em Wuzhen, na China, e que tem como tema 'Redefinindo o futuro juntos', o diretor executivo da Huawei e CEO da área de carrier (operadoras),Ryan Ding, enfatizou que segurança cibernética e privacidades são prioridades da companhia. Evento reúne cerca de 500 representantes da indústria de telecomunicações do mundo.

"Garantimos a segurança das redes 5G das operadoras com nossos produtos seguros e serviços confiáveis", assegurou o executivo. Ele lembrou que produtos seguros são possíveis graças à participação ativa da Huawei no projeto 5G Security Assurance Specification da 3GPP. A Huawei também oferece suporte ao Esquema de Garantia de Segurança de Equipamentos de Rede (NESAS), definido em conjunto pela 3GPP e GSMA Para garantir serviços confiáveis, a Huawei segue a ISO 27001 e aplica-se ativamente a mais certificações de segurança de terceiros.

Ding disse ainda que, ao passar de 4G para 5G, as operadoras terão diferentes focos de negócios em cada uma das quatro fases: planejamento, implantação, operações e otimização.  No 5G, o interesse da Huawei é oferecer soluções ponta a ponta para atender aos requisitos de negócios das operadoras com o objetivo de trazer o melhor da nova tecnologia para a realidade

"A visão da Huawei é tornar o mundo digital real para todas as pessoas, lares e organizações, para um mundo totalmente conectado e inteligente. O 5G será uma tecnologia fundamental para esse cenário. Vamos manter os altos investimentos em 5G e trabalhar com nossos clientes e parceiros para fazer dessa visão é uma realidade", concluiu Ding.

Nos últimos 30 anos, a Huawei operou em mais de 170 países e regiões ao redor do mundo, implantou 7,4 milhões de linhas FTTx e construiu mais de 800 datacenters em nuvem. A Huawei assegurou mais de 200 grandes eventos e manteve mais de 1500 redes e suas operações tranquilas. A Huawei trabalhou com 17 dos 30 principais CSPs globais em gerenciamento de experiência do cliente e 24 CSPs em excelente melhoria de rede.

Sem mencionar o embate com os Estados Unidos, o presidente do Departamento de Serviço Técnico Global da Huawei, Bill Tang, assinalou que "como uma parceira confiável, a Huawei investe continuamente em pessoas, plataformas de negócios e competências para assegurar redes confiáveis ​​e disponíveis".  A China Mobile, a China Unicom, a China Telecom, a Vodafone, a Orange, a Elisa (Finlândia), a Etisalat (Emirados Árabes) partilharam as suas melhores práticas em 5G e IA e como pensam no futuro. No Brasil, desde 2018, a Huawei já fez testes de 5G com todas as principais operadoras de telefonia. Em seus 11 anos, a Reunião do Grupo de Usuários da Huawei já contou com quase 3.000 clientes.

Fonte: Huawei

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/10/2019
Alemanha ignora pressão dos EUA e mantém Huawei no páreo para 5G

11/10/2019
TIM leva para as lojas a experimentação do 5G

10/10/2019
Algar Telecom faz testes comerciais com 5G em Uberlândia

10/10/2019
Edge computing é base para aplicações 5G

07/10/2019
Satélites x 5G: GSMA sobe o tom em defesa da nova geração nas ondas milimétricas

07/10/2019
Com OpenRAN, Intel quer abocanhar mercado 5G de Ericsson, Huawei e Nokia

04/10/2019
5G é usado para acelerar as vendas de smartphones

03/10/2019
Equipamentos Wi-Fi 6 estão fora do portfólio das teles nacionais

03/10/2019
Solução para interferência nas parabólicas adia proposta da Anatel para edital do 5G

01/10/2019
Sindisat reclama da 'fome' das operadoras por espectro para o 5G

Destaques
Destaques

5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Até lá, a tecnologia LTE segue com um crescimento considerável. Em junho foram 4,7 bilhões de conexões, ou 53% de todas as conexões celulares no mundo, revela a 5G Americas.

TVs defendem migração da banda C para Ku e calculam custo em R$ 2,9 bilhões

Abratel, que representa Record e Rede TV!, apresentou formalmente à Anatel uma proposta de migração das transmissões como forma de evitar a interferência do uso da faixa de 2,5 GHz nas antenas parabólicas.  

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site