Convergência Digital - Home

Edge computing vai avançar 226% nos próximos cinco anos

Convergência Digital
Convergência Digital - 03/07/2019

O edge computing está mudando a maneira como os líderes da indústria pensam sobre o data center. Eles estão enfrentando um amplo ecossistema de data centers, composto por muitos tipos de instalações e dependendo cada vez mais do edge da rede, revelou o estudo Data Center 2025: explorando as possibilidades, feito com a Vertiv para avaliar os negócios com os data centers do futuro.

Foram ouvidos mais de 800 profissionais em todo o mundo e, dos participantes que hoje têm sites de edge ou planejam tê-los em 2025, mais da metade (53%) espera que o número de sites de edge aos quais eles dão suporte cresça em pelo menos 100%. Outros 20% esperam um aumento de 400% ou mais. Coletivamente, os participantes da pesquisa acreditam que seu número total de sites de edge computing possa avançar 226% nos próximos cinco anos.

Durante a pesquisa original, realizada em 2014, o edge computing foi reconhecido como uma tendência crescente, mas mereceu apenas quatro menções no relatório de 19 páginas. A atenção da indústria naquele momento estava firmemente focada em arquiteturas híbridas, alavancando recursos empresariais, de cloud computing e de colocation. Mesmo em uma indústria que rotineiramente se move e muda à velocidade da luz, o crescimento do edge computing e o impacto dramático que ele terá no data center são surpreendentes.

“A pesquisa mostra a relevância que o edge computing – a resposta aos desafios impostos pelo processamento de dados mais perto do ponto de uso – ganhou no setor tecnológico”, disse Fernando García, vice-presidente da Vertiv América Latina. “Para que haja mais dispositivos conectados e uma maior produção de dados, são necessárias mais infraestruturas servindo ao edge da rede”.

O relatório mostra ainda que:

Os participantes de 2019 não estão tão otimistas quanto às perspectivas de energia solar e eólica no data center como estavam em 2014. Naquele ano, projetaram que cerca de 34% da energia do data center viria dessas fontes até 2025. Agora, a expectativa é de 21% - ainda otimista, mas consciente das dificuldades desse ambicioso cronograma.

Globalmente, 16% dos participantes esperam estar aposentados até 2025, exacerbando uma escassez de talentos já problemática. Nos EUA, esse número é um alarmante 33%.

Os resultados completos da pesquisa estão disponíveis no relatório Data Center 2025: Mais Próximo do Edge.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site