Home - Convergência Digital

MCTIC convoca reunião para tratar de interferência do 5G nas antenas parabólicas

Luis Osvaldo Grossmann - 14/08/2019

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, disse que vai ouvir os setores envolvidos e que sairá de entendimentos entre o MCTIC e a Anatel uma política pública para tratar da interferência do 5G nas antenas parabólicas. 

“Com o 5G e possível interferência com parabólicas e esse assunto tem sido tratado pela equipe técnica da Anatel e do Ministério. A solução vai ser tomada em conjunto. Chamamos também uma reunião com representantes de cada uma das associações que tratam disso de forma que possamos encontrar uma solução técnica viável e eficiente para todos. E a política pública vai surgir a partir desses encontros e dessas soluções técnicas”, afirmou o ministro. 

O leilão do 5G, que fornecedores já dizem ser o maior do mundo em quantidade de espectro, estava inicialmente previsto para o fim do primeiro trimestre de 2020, mas isso exigiria que uma versão preliminar do edital já estivesse na praça a esta altura para o começo do processo obrigatório de consulta pública, o que ainda não ocorreu. 

Os estudos técnicos confirmam que há potencial interferência, mas o tamanho do impacto ainda é disputado entre teles e emissoras de televisão. A discussão, portanto, deve centrar-se na estratégia de mitigação, tendo o tratamento dado à TV Digital pelo leilão dos 700 MHz como modelo. Pontes, no entanto, não adiantou detalhes. 

“Em termos de leilão das frequências, 5G é um assunto que tem sido tratado e é competência da Anatel, portanto ainda é cedo para se falar. Cabe primeiro à Anatel. Mas temos que trabalhar com o 5G em relação a antenas, e está em estudo no ministério como isso vai ser tratado”, insistiu o ministro. 

Pontes também comentou sobre a relação entre a implantação do 5G e a dificuldade de licenciamento de antenas em cidades brasileiras. “A questão do silêncio positivo, que pode vir num decreto de infraestrutura, ainda está em estudo do nosso lado”, afirmou. 









Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/07/2020
Reino Unido define futuro da Huawei no 5G

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

08/07/2020
Faria: 5G depende de posição do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site