Convergência Digital - Home

Tecnologia nacional usa a nuvem para monitorar enchentes

Convergência Digital
Convergência Digital* - 06/09/2019

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveram uma tecnologia nacional capaz de coletar dados e detectar se está ocorrendo o transbordamento de um rio. O sistema já foi testado e adotado pela Defesa Civil de Santa Catarina, na cidade de Rio do Sul, e agora o foco é desenvolver formas de prever enchentes e expandir o uso dos sensores no Brasil. Para isso, os estudos vêm testando a eficácia da mineração de dados online e de técnicas de inteligência artificial. Também há o monitoramento por meio das redes sociais.

Tecnologias capazes de detectar enchentes já são usadas em países como a Inglaterra, onde o transbordamento de rios é sazonal. Pensando em como esses fenômenos são comuns no Brasil, o pesquisador Jó Ueyama, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveu sensores capazes de detectar enchentes, aferindo grandezas como a altura da água e a pressão.

A implementação desse sistema, chamado de e-NOE, coleta dados por meio de sensores do tamanho de uma caixa de fósfero que coletam os dados, transmitidos por uma rede sem fio e em tempo real para os servidores em nuvem. "Isso significa que há dados em tempo real para serem avaliados", revela Ueyama. Em Rio do Sul, em Santa Catarina, o piloto foi necessário porque a cidade fica abaixo do nível do mar e sofre de forma constante com as enchentes. O sistema permitiu prever o melhor momento para comunicar aos moradores do perigo das enchentes.  O e-NOE também foi testado em São Carlos e em Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo.

A partir disso, esses sensores foram ganhando novas funções, como a de detectar o nível de poluição dos rios. Mais recentemente, o foco dos pesquisadores Thiago Costa e Gustavo Furquim, que continuam esses estudos, é a previsão, já que “ao invés de dizer que ocorreu uma enchente em algum lugar, é melhor você ser uma espécie de guru para dizer ‘olha, ali daqui a cinco minutos vai encher’. Isso é mais valioso porque é possível evacuar as regiões afetadas e evitar tantas perdas materiais”, segundo o pesquisador. Intenção, agora, é ver o sistema e-NOE ganhar vez em mais Estados do País.

Fonte: Jornal da USP


Destaques
Destaques

Embratel centraliza dados do ministério da Saúde na nuvem

Os dados do Portal do Ministério da Saúde, do Portal Coronavírus e e-SUS-VE foram 100% migrados para a nuvem da Embratel. Entre os aplicativos migrados está o CoronavírusSUS. Os apps de saúde já atingiram picos de mais de 80 milhões de acessos diários.

Compartilhamento de dados fomenta o big data no governo federal

A TIC Governo Eletrônico 2019 mostra que ainda há muito por usar em análise de dados no governo. O MPF foi o maior utilizador dos dados para análise. O Executivo ficou com apenas 20%. Serviços na nuvem também ficam aquém do desejado.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site