GOVERNO » Compras Governamentais

Governo impõe corte de preços à IBM, Oracle, Red Hat e VMWare

Luís Osvaldo Grossmann ... 23/09/2019 ... Convergência Digital

A nova política de renegociação de contratos de serviços de TI no governo federal , antecipada pelo portal Convergência Digital, vai mostrar o primeiro efeito até o fim desta semana, quando será publicado pelo Ministério da Economia o catálogo de serviços da Microsoft, com valores de referência pelo menos 25% menores dos atuais para que os órgãos públicos exijam reduções nos preços. 

Segundo a Secretaria de Governo Digital, a medida acontece porque não houve acerto com a Microsoft, primeira da fila de renegociações por ser a maior fornecedora de TI para o governo federal. Já há negociações em curso com a Oracle e a IBM. E antes do fim do ano a ideia é também ter novos valores para serviços da Red Hat e da VMWare. 

O governo se escuda nas recomendações feitas pelo Tribunal de Contas da União e em cálculos sobre o volume de contratações que confirmaram na prática a lista do TCU de maiores fornecedores. Só a SAP ficou de fora, pelo entendimento de que houve uma compra atípica que a incluiu na lista que avaliou 2012 a 2016. 

Com base nos preços dos contratos já firmados com órgãos públicos federais, a SGD encontrou disparidades de até 50% em serviços semelhantes. Daí a decisão de que tanto contratos novos como prorrogações e renovações terão que considerar os preços máximos do catálogo de serviços dos maiores fornecedores.

No processo também é esperada a padronização dos serviços, para melhor identificação de referências dessas contratações anteriores por outros órgãos quando da preparação de editais e termos. Tudo com vistas a alimentar o sistema de compras unificadas administrado pelo Ministério da Economia. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Telebras aumenta capital em R$ 1,59 bilhão e cobra calote da FIFA

Acionistas aprovaram a medida - uma reação à privatização pretendida pelo Governo Bolsonaro - e o capital da estatal passará a ser de R$ 3,1 bilhões. Estatal também foi à Justiça para cobrar R$ 9,2 milhões da FIFA por serviços prestados na Copa do Mundo de 2014.

Com novo marco das teles, governo prepara leis para Fust, antenas e datacenters

MCTIC resgata agendas antigas e aponta para regra nacional que dispense antenas de 5G do licenciamento municipal, enquadrando-as como mini-ERBs. 

Autoridade de Dados vai ser a fiscal do compartilhamento de dados do Governo

As regras para o compartilhamento de dados foram estabelecidas no decreto 10.046, mas tudo terá o crivo da ANPD, diz Ciro Avelino, do Governo Digital.

Comitê de dados vai expedir orientações em 90 dias

“Dados interoperáveis, estruturados e automatizados convergem com a LAI e a LGPD. A ideia é que os órgãos conversem para não fazer do cidadão um agente cartorário”, diz o secretário adjunto de governo digital, Ciro Avelino.

Telebras faz Assembleia Geral para aprovar capitalização de R$ 1,512 bilhão

Assembleia geral para tratar do aumento de capital foi agendada para 31 de outubro. Proposta da estatal - que integra lista de privatizações do governo Bolsonoro - dá prioridade à União, como principal acionista da empresa.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G