NEGÓCIOS

Inteligência Artificial é o novo capítulo da guerra EUA x China

Convergência Digital* ... 08/10/2019 ... Convergência Digital

O governo dos Estados Unidos ampliou a lista de sanções comerciais para incluir algumas das maiores startups de inteligência artificial da China, como forma de punição ao governo chinês por seu tratamento a minorias muçulmanas. Medida eleva as tensões antes de conversas comerciais de alto nível, agendadas para acontecer esta semana em Washington. O embate EUA e China já dura 15 meses e, ao que parece, não há data para acabar.

A decisão norte-americana, que provocou uma repreensão dura de Pequim, visa 20 agências de segurança pública chinesas e oito empresas, incluindo a companhia de vigilância com vídeo Hikvision e as líderes da tecnologia de reconhecimento facial SenseTime Group e Megvii Technology. A ação impede as empresas de comprarem componentes de companhias norte-americanas —algo potencialmente debilitante para algumas delas— e segue o mesmo esquema usado pelos EUA em sua tentativa de limitar a influência da Huawei Technologies devido ao que diz serem motivos de segurança nacional.

"As entidades foram implicadas em violações de direitos humanos e abusos na implantação da campanha de repressão, nas detenções em massa arbitrárias e na vigilância de alta tecnologia da China contra uigures, cazaques e outros membros de grupos muçulmanos minoritários”, reportou documento publicado pelo Departamento de Comércio. “O governo dos EUA e o Departamento de Comércio não podem e não irão tolerar a supressão brutal das minorias étnicas dentro da China”, acrescentou o secretário de Comércio, Wilbur Ross.

A reação da China foi imediata. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Geng Shuang, afirmou que os EUA deveriam parar de interferir nos assuntos da China. Reportou ainda que o País continuará a adotar medidas firmes e resolutas para proteger sua segurança soberana. Entre as empresas atingidas pela política de restrição está a Hikvision, com valor de mercado projetado em US$ 42 bilhões e que se classifica como a maior fabricante mundial de equipamento de vigilância com vídeo.

A SenseTime, avaliada em cerca de 4,5 bilhões de dólares, é um dos unicórnios de inteligência artificial mais valiosos do planeta, e a Megvii, que tem apoio da gigante de comércio virtual Alibaba, está avaliada em cerca de 4 bilhões de dólares e se prepara para lançar ações na bolsa para arrecadar ao menos 500 milhões de dólares em Hong Kong.

*Fonte: Agências de Notícias


Cloud Computing
Com quórum, CADE retoma processo milionário contra IBM por compra da Red Hat

Processo administrativo contra a IBM foi aberto no final de junho e multa pode chegar a R$ 60 milhões. IBM também enfrenta uma renegociação de contratos com o governo federal. Corte sugerido nos contratos é o mesmo da Microsoft: 35%.

Tecnologia da informação evita tombo maior do setor de serviços

Segundo o IBGE, apesar do desempenho ruim das telecomunicações, os serviços de TI exercem a principal contribuição positiva dos serviços no acumulado até agosto de 2019. 

Rio de Janeiro precisa deixar de exportar CPF e CNPJ

"O Rio é protagonista de geração de inteligência e, hoje, temos de nos desafiar para reter nossos talentos", afirma o coordenador do Rio Info 2019, Alberto Blois. A diversidade foi a 'cara' do evento em 2019.

Fusões e aquisições em TI remodelam o mercado interno

Pesquisa da KPMG mostra que, no primeiro semestre, aconteceram 61 operações de compra em TI no Brasil, sendo 39 domésticas, 18 aquisições por grupos estrangeiros e 4 empresas brasileiras comprando companhias estrangeiras.

BR Distribuidora: A TI não pode se esconder atrás dos processos para se defender

"A TI precisa entender que do jeito que era não funciona mais. Ela precisa se enxergar como parte integrante do negócio", diz o CIO da BR Distribuidora, Aspen Andersen.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G