Convergência Digital - Home

Com a nuvem, órgãos públicos incorporam novas tecnologias ao dia a dia

Convergência Digital
Ana Paula Lobo, Luís Osvaldo Grossmann e Pedro Costa - 04/11/2019

Especial - Mesa Redonda - Computação em Nuvem e o impacto nos serviços governamentais - Convergencia Digital

A administração pública federal brasileira reúne 192 órgãos e a implantação de ferramentas de computação em nuvem no processo de transformação digital do Estado evidencia a flexibilidade tecnológica capaz de atender as mais diferentes realidades e prioridades dos sistemas de tecnologia da informação de governo. 

E, ainda, se as motivações para o uso inicial da nuvem podem ser tão distintas como necessidade de armazenamento escalável, redundância e segurança, ou para habilitar instrumentos de inteligência artificial, o uso efetivo amplia rapidamente o leque de opções independentemente da instituição. 

Ao discutirem a importância da tecnologia, estratégias de implementação, dúvidas de migração e até temas de segurança da informação, gestores que estão diretamente envolvidos na transformação digital apontam caminhos, vantagens e dilemas da jornada digital. Lições que continuam a ser divulgadas pelo Convergência Digital.

Polícia Rodoviaria Federal: IA e a criação de um cadastro nacional de acidentes de trânsito 

A adoção da nuvem pública motivada pela infraestrutura como serviço já deriva para projetos inovadores com uso de inteligência artificial na Polícia Rodoviária Federal. “Queremos oferecer serviços melhores”, resume o chefe de Infraestrutura e Serviços de TI da PRF, Fabio Williams de Sousa. 

“Já estamos estudando também novas aplicações e como atuar no formato ‘multiagências’, compartilhando nossas aplicações com estados e municípios para um gerar um grande banco de dados sobre acidentes de trânsito, não só nas rodovias federais, mas nos estados e nos municípios.”

Da pressão por storage à melhorias na gestão e no negócio

O salto para a nuvem foi a maneira mais rápida do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí responder a uma necessidade urgente: capacidade crescente de armazenamento diante do esgotamento do sistema legado on premises. Mas que abriu amplas e novas possibilidades, como aponta o diretor de tecnologia de informação do IFPI, Eduílson Carneiro.

“Nossa ida à nuvem foi motivada muito por uma necessidade urgente, de falta de infraestrutura. Mas a partir do momento que tem esses sistemas, aproveitar toda a oferta de serviços. Desde data science no processo de tomada de decisão ao uso de inteligência artificial para educação e aprendizagem, no acompanhamento dos alunos, por exemplo.”

Brasil terá acervo do patrimônio histórico acessível pela nuvem

O que começou com o atendimento imediato em segurança e resiliência, superando o risco concreto de falhas por inexistência de backup, tem tudo pra se transformar em um grande projeto de digitalização de todo o acervo do patrimônio histórico e artístico nacional. 

“Estamos no processo imediatista de disaster recovery. Ter um único datacenter em um único local é um pontos de falha. E a nuvem é a primeira grande solução para esse problema. Mas o Iphan, instituição da salvaguarda do patrimônio histórico nacional, documental e iconográfico, pode se beneficiar da escalabilidade. É um acervo rico e há a intenção de disponibilizar ao público, o que hoje acontece apenas com uma fração”, diz o coordenador de TI do Iphan, Sérgio Porto Carneiro.

Ideia é partilhar transformação digital com estados e municípios

A transformação digital trilhada pelo governo federal deve decantar para estados e municípios, com aproveitamento das experiências e compartilhamento de ferramentas. É a ideia por trás da Rede Gov.Br, que além de repositório de todas as soluções digitais da administração federal aceita adesões de estados e municípios. 

“O projeto é trazer a participação de estados e municípios para todas as ações que a gente tem feito de transformação digital. Minas Gerais e São Paulo levaram nosso processo de nuvem atual para estudar e estão perto de licitar. E a gente tem tido adesões à Rede Gov.Br. Até o final do governo o portal terá não só todos os serviços federais, mas estaduais e municipais também”, diz o diretor da Secretaria de Governo Digital, Merched Oliveira.

Veja o especial completo

Especial - Mesa Redonda - Computação em Nuvem e o impacto nos serviços governamentais - Convergencia Digital


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site