Convergência Digital - Home

Embratel projeta 16 micro datacenters para edge computing

Convergência Digital
Por Fábio Barros e Carlos Afonso - 04/11/2019

O edge computing - computação de borda - desponta como uma porta de entrada para suportar os dados que virão com  o 5G. Informações do mercado citam que, até 2023,  73% dos dados móveis serão baseados em conteúdo de vídeo e haverá 30 bilhões de dispositivos conectados pelo mundo. O tema foi debatido no Futurecom 2019, que aconteceu de 28 a 31 de outubro, em São Paulo.

Uma das operadoras que mais se prepara para o edge computing é a Embratel, que mantém datacenters tradicionais no País, mas já possui três micro datacenters e planeja chegar a 16, o mais rápido possível. A gerente de Desenvolvimento de Produtos da companhia, Diuliana França,  explicou que a aposta das empresas se dá por conta da demanda do mercado. Ela lembrou que, hoje, 91% dos dados são processados de forma centralizada em datacenters tradicionais. No entanto, até 2022, a previsão é de que 75% dos dados deverão ser processados na origem, ou seja, em micro datacenters, porque aplicações de IA e IoT, por exemplo, exigirão respostas autônomas e mais inteligentes.

“A variável latência vai ganhar relevância por causa desse tipo de aplicação e por isso vamos precisar desse tipo de entrega”, afirmou. Diuliana disse que, neste contexto, a Embratel pretende tirar proveito de sua rede e de sua capilaridade nacional para desenvolver sua própria rede de micro datacenters. A estas estruturas, a companhia pretende agregar armazenamento e inteligência. Para Diuliana França, da mesma forma que a computação em nuvem alavancou a transformação digital, a Internet das Coisas será estimulada pelo edge computing. “Ele vai fazer com que este mercado seja fomentado e que a inteligência das coisas se torne realidade.” Assistam à entrevista com Diuliana França, da Embratel.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site