Convergência Digital - Home

Embratel projeta 16 micro datacenters para edge computing

Convergência Digital
Por Fábio Barros e Carlos Afonso - 04/11/2019

O edge computing - computação de borda - desponta como uma porta de entrada para suportar os dados que virão com  o 5G. Informações do mercado citam que, até 2023,  73% dos dados móveis serão baseados em conteúdo de vídeo e haverá 30 bilhões de dispositivos conectados pelo mundo. O tema foi debatido no Futurecom 2019, que aconteceu de 28 a 31 de outubro, em São Paulo.

Uma das operadoras que mais se prepara para o edge computing é a Embratel, que mantém datacenters tradicionais no País, mas já possui três micro datacenters e planeja chegar a 16, o mais rápido possível. A gerente de Desenvolvimento de Produtos da companhia, Diuliana França,  explicou que a aposta das empresas se dá por conta da demanda do mercado. Ela lembrou que, hoje, 91% dos dados são processados de forma centralizada em datacenters tradicionais. No entanto, até 2022, a previsão é de que 75% dos dados deverão ser processados na origem, ou seja, em micro datacenters, porque aplicações de IA e IoT, por exemplo, exigirão respostas autônomas e mais inteligentes.

“A variável latência vai ganhar relevância por causa desse tipo de aplicação e por isso vamos precisar desse tipo de entrega”, afirmou. Diuliana disse que, neste contexto, a Embratel pretende tirar proveito de sua rede e de sua capilaridade nacional para desenvolver sua própria rede de micro datacenters. A estas estruturas, a companhia pretende agregar armazenamento e inteligência. Para Diuliana França, da mesma forma que a computação em nuvem alavancou a transformação digital, a Internet das Coisas será estimulada pelo edge computing. “Ele vai fazer com que este mercado seja fomentado e que a inteligência das coisas se torne realidade.” Assistam à entrevista com Diuliana França, da Embratel.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.

Hospital Care vai às compras e reforça transformação digital

Com foco em fusões e aquisições no setor de saúde, a holding vem obtendo inúmeros ganhos de integração e sinergia entre as empresas adquiridas e suas diferentes soluções locais, passando a atuar por meio de um Centro de Serviços Compartilhados que provê serviços corporativos a todas as unidades do grupo. Empresa aposto no SAP S/4HANA.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site