INCLUSÃO DIGITAL

Mais da metade das mulheres no mundo está sem acesso à Internet

Convergência Digital* ... 05/11/2019 ... Convergência Digital

Novos dados da União Internacional de Telecomunicações apontam que, em que pese uma maior implantação de redes de conexão à internet, a brecha de gênero digital segue crescendo. Segundo números revelados pela UIT nesta terça-feira (5/11), 4,1 bilhões de pessoas (ou 53,6% da população mundial) estão conectadas atualmente, mas o uso da internet pelas mulheres nos países em desenvolvimento está diminuindo. 

De acordo com o estudo “Measuring digital development: Facts and figures 2019”, 52% do total da população mundial de mulheres não utiliza a internet, dez pontos porcentuais a mais que os homens. Isto aponta que, na maioria doa países, as mulheres estão se beneficiando menos que os homens do poder transformador das tecnologias digitais. o estudo mostrou que a brecha de gênero diminuiu na Comunidade dos Estados Independentes e na Europa, mas está crescendo na África, nos estados Árabes e na região da Ásia-Pacífica; e também é maior nos países em desenvolvimento. 

Os números da UIT apontam que 97% da população mundial residem em áreas nas quais chega o sinal da telefonia móvel celular e 93% tem cobertura de uma rede 3G ou superior. No entanto, 3,6 bilhões de indivíduos não estão conectados, sendo a maioria deles mulheres que residem em países mais atrasados economicamente. A UIT calcula que ao fim de 2019, 57% dos lares de todo o mundo terão acesso à internet. 

Em nota, Doreen Bogdan-Martin, diretora da oficina de desenvolvimento das telecomunicações na UIT, afirmou que conectar os 3,6 bilhões de pessoas com o poder das tecnologias digitais deve ser uma das prioridades mais urgentes.  A Europa é hoje a região com maior uso da internet (82,5 da população está conectada) e a África é a que apresenta os porcentuais mais baixos (28,2%). 

Leia mais aqui


MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G